Guarda Municipal de Curitiba passa a contar com câmeras corporais

A expectativa da prefeitura é que o sistema de câmeras corporais esteja integralmente em funcionamento até o final de outubro.

Redação - 12 de julho de 2022, 07:29

Foto: Daniel Castellano / SMCS
Foto: Daniel Castellano / SMCS

A Guarda Municipal de Curitiba já conta com câmeras corporais para serem utilizadas nos uniformes da corporação. O primeiro lote dos equipamentos, também conhecidos como body cams, foi entregue nesta segunda (11) na Capital.

A medida, conforme a prefeitura, visa aumentar a segurança nos procedimentos e abordagens e a transparência das ações. As câmeras serão instaladas nas viaturas da corporação. A expectativa é que o sistema esteja integralmente em funcionamento até 30 de outubro.

“Nós temos hoje a possibilidade de documentar tudo o que acontece na cidade. Agora tudo vai ser documentado pelas câmeras peitorais. O guarda será protegido de qualquer controvérsia, porque terá sua ação correta documentada. Se tiver ação incorreta, isso também será documentado e a população será protegida”, afirmou o prefeito Rafael Greca.

As 50 primeiras câmeras integram o conjunto de 515 equipamentos de alta tecnologia destinados ao uso no uniforme. Também serão instaladas 160 câmeras nos carros da GM.

Quando todos os 675 equipamentos estiverem em funcionamento, eles estarão integrados ao Centro de Controle Operacional da Muralha Digital, programa municipal que alia policiamento e tecnologia da informação no monitoramento da cidade.

O contrato de prestação de serviço terá custo mensal de R$ 791 mil, o que compreende a aquisição, manutenção, substituição dos equipamentos sempre que necessário, licenças necessárias e sua atualização, dentre outros equipamentos acessórios, essenciais ao funcionamento das câmeras de forma integrada.

Transparência

O secretário de Defesa Social e Trânsito de Curitiba, Péricles de Matos, diz que o uso das tecnologias potencializa o esforço empregado pelas equipes da Guarda Municipal.

“Todos os departamentos de polícia e agências de segurança que enveredaram pelo uso das body cams tiveram como resultado a intervenção policial diminuída, a validação dos atos de seus agentes de segurança, a produção de prova para a fase inquiritorial e depois a fase processual, e a afirmação de seus valores organizacionais”, diz ele.

Segundo Matos, o uso desses equipamentos ainda traz mais transparência e segurança para todos. “O guarda municipal que usa essa ferramenta tem a sua proteção pessoal, a proteção do seu cidadão e a sua segurança jurídica garantida”, finaliza o secretário.

Durante o evento, a guarda municipal Leila Valerius fez uma demonstração do uso do equipamento individual desde o reconhecimento facial, necessário para habilitar o uso. A câmera foi acoplada ao colete da servidora e as imagens geradas foram transmitidas no telão em tempo real.

Foto: Daniel Castellano / SMCS 

Nos próximos dias começam os treinamentos para a operação e logística com o efetivo que vai utilizar o recurso em suas atividades diárias. Aos poucos, à medida que os equipamentos estiverem disponíveis, a infraestrutura implantada e integrada ao Centro de Controle Operacional e os guardas treinados, as câmeras começarão a ser usadas.

A primeira equipe a utilizar será a do Grupo de Pronto Emprego Operacional (GPEO) que atua na região central da cidade.