Guarda Municipal denunciado por agressões pede exoneração

Fernando Garcel

Um dos três guardas municipais denunciados em uma agressão contra um homem, em 22 de dezembro, em Cascavel, no Oeste do Paraná, pediu exoneração do cargo. Todos estavam afastados e respondem a processo administrativo e um inquérito da Polícia Civil apura o caso.

Segundo o diretor da Guarda Municipal, Avelino José Novakoski, o pedido foi formalizado e encaminhado para medidas finais junto ao departamento de Recursos Humanos do município, mas que o pedido não o exime de ser responsabilizado.

“Essa decisão não é da nossa alçada. Nós aguardamos a decisão do município. Isso não o exime de ser ouvido e de fazer parte do processo e podendo, depois, não ser isento de responsabilização junto à Justiça comum”, explica Novakoski. “Talvez seja uma estratégia dele para que se publique o pedido de exoneração dele próprio para evitar a exoneração dependendo do final do processo”, finaliza.

O mesmo guarda estaria também envolvido nas agressões contra outro jovem, de 27 anos, na saída de uma casa de shows na madrugada de 22 de outubro do ano passado. Os outros dois guardas seguem afastados das ruas e permanecem em trabalhos internos da Guarda Municipal. Ambos aguardam a apuração do processo que pode resultar de punição que vai de advertência até a exoneração do cargo.


Uma câmera de monitoramento registrou toda a ação dos guardas municipais. Eles abordaram a vítima que estava em uma moto, ele desce, retira o capacete, levanta os braços e na sequência leva um soco. O homem não reage e continua a levar socos, chutes e pontapés. Depois das agressões, ele entrega documentos, é revistado e levado pelos guardas. Veja:

Em entrevista à Catve, o advogado de defesa do rapaz que foi agredido, Júlio Morback, afirma que os guardas cometerem, pelo menos, quatro crimes, entre eles as informações falsas repassadas pelos oficiais em boletim de ocorrência registrado e também as lesões corporais.

Post anteriorPróximo post