Suspeito de roubo seguido de estupro em loja de Curitiba se entrega à polícia

Redação

Suspeito de estupro contra funcionária de loja de Curitiba tem passagens por crimes sexuais

Guilherme Penkal, suspeito de roubo seguido de estupro de uma funcionária de uma loja no centro de Curitiba, se entregou à polícia na madrugada desta sexta-feira (16). Ele foi com um advogado até a Delegacia da Mulher, onde se encontra preso preventivamente.

Ele era considerado foragido desde a última terça-feira (13), quando o pedido de captura foi solicitado para a Justiça. Na quarta-feira, uma equipe da PCPR (Polícia Civil do Paraná) foi até a residência do homem, mas segundo familiares, ele havia pegado algumas peças de roupas e sumido horas após o crime.

A identificação de Guilherme Penkal, de 33 anos, foi realizada através do banco de dados da polícia de pessoas que cometeram estupro em Curitiba. Ele constava na lista porque cometeu crime de violência sexual em 2011 e de ato obsceno em 2013. O suspeito estava em liberdade desde 2019.

Em conversa com a delegada Vanessa Alice, que investiga o caso, o objetivo principal do investigado era a violência sexual. “Ele já comentou com familiares que ele sente algo e não consegue se controlar. Desde o início nós perceber que o alvo da ação seria o estupro. Uma vez que no balcão do comércio tinha um notebook, um aparelho celular e ele não levou esses objetos”, explicou.

De acordo com informações da polícia, repassadas pela Band TV Curitiba, os familiares do suspeito incentivaram ele a se entregar porque não aceitam que ele teria cometido o crime mais uma vez.

Nas redes sociais, Guilherme Penkal se intitula como terapeuta quântico. Em diversas postagens ele diz ser consultor e ensina pessoas que acreditam na lei da atração a realizar os seus desejos. Através de seu perfil, é possível notar que seus atendimentos são praticamente só para mulheres. Por isso, a polícia acredita que novas vítimas possam surgir.

FUNCIONÁRIA DE LOJA NO CENTRO DE CURITIBA É ESTUPRADA EM PLENA LUZ DO DIA

crime aconteceu no horário do almoço, por volta das 13h20, da última sexta-feira (9). Quando entrou no local, Guilherme Penkal pediu informações sobre alguns itens e foi embora. Pouco minutos depois ele voltou armado e deu voz de assalto e levou a jovem, de 18 anos, para os fundos da loja. Nesse momento, ele cometeu o crime de estupro.

Em seguida, ele pediu o celular pessoal da vítima, as chaves do estabelecimento e pegou R$ 50 reais do caixa. Imagens de câmera de segurança da Alameda Prudente de Morais flagraram o suspeito andando tranquilamente após a violência sexual. Horas depois, ele abandonou o celular e chaves. Foi para casa, separou algumas peças de roupas e fugiu calmamente.

A identificação dele foi possível através do banco de dados de pessoas que cometeram o crime de estupro. Os investigadores chegaram em Guilherme Penkal através das descrições repassadas pela vítima.

Guilherme Penkal antes de cometer o crime sexual (Divulgação/PCPR)

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="775876" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]