Hemepar pede doações de sangue para manter estoques no fim de ano

Mariana Ohde


O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar) está pedindo doações de sangue para manter os estoques durante o fim de ano e em janeiro. Nos período de Natal, Ano Novo e férias de verão, o número de doadores costuma cair entre 30% e 40%. Porém, a necessidade de manter abastecidos os 384 hospitais com bolsas de sangue e hemoderivados continua.

Para manter os estoques em níveis regulares, são necessárias de 500 a 600 doações diárias nas 21 unidades da rede. Apenas em Curitiba, o ideal é manter de 150 a 200 doações todos os dias.

Por isso, segundo o diretor do Hemepar, Paulo Hatschbach, é importante que as pessoas doem sangue antes de viajar. “Temos uma preocupação grande de ter estoque suficiente para atender a demanda”, explica. “Nós dependemos da boa vontade e da humanidade dos doadores, que compareçam às nossas unidades para fazer a coleta”, conta.

O Hemepar em Curitiba fica aberto para coletas até o fim do ano, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h. O funcionamento será interrompido nos sábados, dias 24 e 31 de dezembro, mas reabre em horário normal a partir do dia 2 de janeiro.

Para doar é preciso estar em boas condições de saúde, pesar no mínimo 50 kg e ter entre 16 e 69 anos. Menores de idade devem estar acompanhados de um responsável. No momento da doação é importante estar descansado. É recomendável fazer uma refeição leve cerca de duas horas antes, evitando alimentação gordurosa. Também é necessário portar um documento oficial com foto.

Veja os horários de funcionamento das unidades da rede neste fim de ano.

Quedas nas doações, aumento das demandas

Segundo Paulo Hatschbach, até os doadores mais frequentes deixam de praticar a ação no fim do ano. “Principalmente agora, no Natal, férias, as pessoas querem viajar, aproveitar, fazer as festividades, e esquecem da doação de sangue, que pode salvar vidas”, diz.

A preocupação com as doações é redobrada no fim do ano em razão também do número elevado de acidentes nas estradas. A demanda de sangue tende a aumentar nos atendimentos a esses casos. “A gente não tem previsão do que vai usar. A gente sabe que a cirurgias eletivas, neste período, diminuem bastante, mas nós temos uma preocupação, infelizmente, com os acidentes. A gente não tem ideia de quantos acidentes”, lamenta. “Nós temos que estar preparados para uma emergência qualquer, então temos uma demanda de sangue todos os dias. A gente não sabe, no dia amanhã, o que pode acontecer. Por isso, a gente precisa que a população tenha o hábito de doar, pelo menos, três vezes ao ano”, explica.

O diretor-geral do Hemepar ressalta que, apesar da preocupação da população com presentes e comemorações, a doação de sangue pode representar um Natal e um Ano Novo mais felizes para muitas outras pessoas. “A gente está muito preocupado com os presentes para familiares, amigo secreto, mas você pode dar um presente com uma doação de sangue”, afirma.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="404912" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]