Golpe do amor: polícia prende suspeito de adquirir R$ 93 mil em estelionato

Um homem que aplicava o 'golpe do amor' foi preso na última quinta-feira (18), em Curitiba. De acordo com a PCPR (Políci..

Redação - 20 de junho de 2020, 13:28

Reprodução/Píxabay
Reprodução/Píxabay

Um homem que aplicava o 'golpe do amor' foi preso na última quinta-feira (18), em Curitiba. De acordo com a PCPR (Polícia Civil do Paraná), o suspeito, de 48 anos, adquiriu R$ 93 mil na modalidade de estelionato.

O golpista conheceu a vítima, uma mulher, de 39 anos, moradora de Cianorte, na região noroeste do Paraná, em 2019 através de um site de relacionamentos.

HOMEM APLICOU 'GOLPE DO AMOR' EM UMA DAS TRÊS 'NAMORADAS'

Para aplicar o 'golpe do amor', o homem iniciou um relacionamento afetivo com a vítima. Após o ganho de confiança, as fraudes foram iniciadas em julho e duraram até dezembro do ano passado.

Segundo as investigações, o homem dizia que seu carro havia quebrado ou que precisava pagar empréstimos fictícios.

Além da 'namorada' paranaense, o homem aplicou a fraude em outras duas mulheres: uma moradora de Joinville e outra moradora de Portugal.

Segundo a PCPR, as mulheres inclusive se desfaziam de bens para ajudar o golpista. Somente da 'namorada' de Cianorte, o homem conseguiu subtrair R$ 93 mil.

O caso veio à tona, quando a vítima descobriu o envolvimento dele com a mulher de Joinville e as duas teriam descoberto juntas que estavam sendo vítimas de estelionato.

FILHO AJUDAVA GOLPISTA A SUBTRAIR DINHEIRO

Então, após a descoberta, a paranaense teria resistido dar dinheiro ao suspeito algumas vezes. Nesses casos, ele contou com o apoio de seu filho e de uma mulher com quem tem sociedade em uma empresa de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba.

Juntos eles teriam se empenhado em convencer a vítima de que o golpista realmente precisava do dinheiro.

Todos foram indiciados por estelionato e serão investigados em processo criminal. Além disso, a Justiça decretou o sequestro de um veículo Ford/Fusion, que teria sido comprado com o dinheiro do 'golpe do amor'.