Homem é indiciado por agredir, amarrar e jogar mulher de ponte no norte do PR

Fernando Garcel


A Polícia Civil de Cambé indiciou Abrãão Nader, de 37 anos, por tentativa de homicídio qualificado. Ele é suspeito de agredir, amarrar e jogar Janete Santos, de 40 anos, de uma ponte de aproximadamente quatro metros de altura em Cambé, na região metropolitana de Londrina, no Norte do Paraná, no início do mês. Ela sobreviveu a queda na água e conseguiu pedir ajuda em uma fazenda na região.

De acordo com o delegado Roberto Fernandes Lima, responsável pelo caso, a vítima era inquilina do suspeito e o crime teria sido motivado por uma dívida de R$ 30.

Segundo o delegado, na versão do suspeito, ele a teria deixado morar em uma casa nos fundos de sua residência. Ele teria cedido o imóvel porque ela estava em situação de rua. Entretanto, segundo a versão dele, ela teria começado a usar drogas e álcool, ele então pediu para Janete sair mas ela se recusou.

“Ele confirma apenas que discutiu com a vítima. Que ela estava em um bar, que a chamou e quando ela chegou perto do veículo ele teria aberto a porta e isso fez com que ela caísse ao solo”, diz o delegado.

O depoimento do suspeito foi desmentido por uma testemunha que teria visto o homem amarrando a mulher e a colocado no bagageiro do veículo.

Na versão da vítima, ainda segundo a investigação, Abrãão queria que ela saísse da casa de toda forma mas ela pagava aluguel. Ele a teria agredido em um bar e depois na casa. Ele então amarrou as mãos e pés de Janete e colocou em seu carro. Ele foi até a ponte que corta o Ribeirão Vermelho, na Estrada da Prata, e a teria arremessado.

“O que se vê é que a raiva dele era muito grande, estava possesso por alguma situação, porque achamos que apenas o fato dela não querer sair da residência é pouco para isso”, diz o delegado.

O homem já tinha passagens pela polícia por roubo e tráfico de drogas e usava tornozeleira eletrônica. Ele está preso desde a última terça-feira (11).

Ele foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado, por motivo fútil e utilizado meios que impossibilitaram a defesa da vítima, e pode ser condenado em até 16 anos e oito meses se o Ministério Público oferecer a denúncia à Justiça.

A vítima foi encaminhada para um abrigo por questões de segurança.

Previous ArticleNext Article