Homem publica fotos da ex-namorada nua e é preso em flagrante no PR

Ana Cláudia Freire

falso sequestro golpe idoso

Um homem, inconformado com o fim do relacionamento, espalhou fotos íntimas da ex-namorada pelo aplicativo de conversa whatsapp e acabou sendo preso pela Polícia Civil de Paiçandu, região norte do Paraná, na manhã desta quarta-feira (13).

A vítima relatou aos policiais que o casal já não estava mais junto e que o ex-namorado furtou o seu aparelho de celular, de dentro da casa dela, sem que ela percebesse. No aparelho haviam várias fotos íntimas da vítima, que não foram compartilhadas com o ex-namorado.

O homem resolveu espalhar para as redes de contato da ex-namorada as suas fotos nuas. Só no grupo de trabalho da moça foram mais de 10 fotos divulgadas, como explica o delegado Mateus Ganzer, titular da Delegacia de Polícia Civil de Paiçandu. “Ele publicou fotos da ex-namorada nua no status do whatsapp da moça e compartilhou mais de 10 fotos íntimas no grupo de trabalho da moça, tudo por vingança”, disse o delegado.

Enquanto a vítima registrava Boletim de Ocorrência na polícia, mais fotos foram compartilhadas em outros grupos do círculo pessoal. Foi então que a PC saiu em diligência atrás do criminoso e foi feita a prisão em flagrante.

O celular foi encontrado sem o chip original, em um estabelecimento comercial, e entregue à vítima.

CRIME DIGITAL

homekm é preso por divulgar fotos namorada nua
Divulgação/PC Paiçandu

O delegado reforça que o compartilhamento desse tipo de foto é crime e que está previsto no Código Penal.

A lei nº 13.718/18  entrou em vigor em setembro de 2018 e  tornou crime a divulgação de foto, vídeo ou cena de sexo, nudez ou pornografia sem o consentimento da vítima.

O Artigo 218-C da Lei diz que:

Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à venda, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio – inclusive por meio de comunicação de massa ou sistema de informática ou telemática -, fotografia, vídeo ou outro registro audiovisual que contenha cena de estupro ou de estupro de vulnerável ou que faça apologia ou induza a sua prática, ou, sem o consentimento da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia é crime com pena prevista de um a cinco anos de reclusão

Mateus Ganzer explica ainda que a pena pode ser agravada pela motivação do crime, que é a vingança. O crime não prevê fiança na delegacia e o homem segue preso até audiência de custódia, quando a Justiça deve decidir o destino do agressor.

 

 

Previous ArticleNext Article
Jornalista - Chefe de Redação do Paraná Portal
[post_explorer post_id="698753" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]