Homem que matou professor em Curitiba diz que vendeu carro da vítima por R$ 600

O homem que confessou ter matado um professor de 59 anos, em Curitiba, foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio qu..

Redação - 23 de dezembro de 2021, 21:35

Divulgação/PCPR
Divulgação/PCPR

O homem que confessou ter matado um professor de 59 anos, em Curitiba, foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio qualificado. Em depoimento, ele afirmou que furtou o carro da vítima e o vendeu por R$ 600.

De acordo com a Polícia Civil do Paraná, o suspeito de 29 anos confessou ter matado Onírio Carlos Silvestre a facadas no dia 15 de dezembro. O corpo foi encontrado no último domingo (19).

Segundo as investigações, o indiciado e a vítima mantinham um relacionamento amoroso, sendo que o professor "patrocinava" o jovem, custeando viagens, objetos pessoais e serviços, como aulas de direção.

As câmeras do condomínio onde a vítima morava mostram a dupla subindo de elevador até o apartamento onde, horas depois, o professor seria morto a facadas. Na parede, a polícia encontrou a pichação de um coração.

Segundo as investigações, após cometer o homicídio, o indiciado furtou objetos do apartamento e fugiu com o carro da vítima para Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná.

O veículo foi vendido por R$ 600 e o receptador já foi identificado. De acordo com a Polícia Civil do Paraná, o carro foi encontrado incendiado na quarta-feira (22) e passou por perícia nesta quinta-feira (23).

Com o inquérito finalizado, o suspeito foi indiciado por homicídio qualificado, falsidade ideológica, fraude processual e furto. Ele está preso preventivamente desde quarta-feira (22).

O caso foi repassado ao Ministério Público do Paraná, que tem prazo de cinco dias para analisar o inquérito finalizado e decidir se apresenta, ou não, um pedido de abertura de ação penal contra o indiciado.