Homenagem a jornalista Fabio Buchmann mobiliza Curitiba

Entidades de classe, vereadores e jornalistas manifestam apoio para transformar jardinete no nome do jornalista Fabio Buchmann, falecido recentemente.

Redação - 14 de junho de 2022, 12:56

Foto/Divulgação
Foto/Divulgação

 

 

 

Vereadores, entidades e amigos manifestam apoio à iniciativa em memória de Fábio Buchmann

Jornalista Fabio Buchmann

A campanha lançada semana passada, visando criar o Jardinete Jornalista Fábio Buchmann, em homenagem ao profissional da CBN falecido em 13 de dezembro passado aos 45 anos, sensibilizou a população e avança na Câmara de Vereadores.

Quase duas centenas de pessoas já aderiram ao movimento por meio de mensagens de whatsapp, entre amigos e fãs do jornalista. As redes sociais bombaram, especialmente o Facebook.

Entidades como o Movimento Pró-Paraná e a Academia Paranaense de Letras enviaram ofício ao presidente da Câmara, vereador Tico Kusma, manifestando apoio. O Sindicato dos Jornalistas do Paraná aprovou por unanimidade sua adesão à campanha. A Associação Paranaense de Imprensa também declarou sua aprovação.

Diversos vereadores estão mobilizados à concretização da ideia. Marcelo Fachinello expressou seu desejo de propor um projeto de lei, individualmente ou em parceria com seus colegas vereadores, caso a área esteja liberada. O mesmo interesse foi demonstrado pelo vereador Dalton Borba. Da mesma forma os vereadores Denian Couto e Herivelto Oliveira disseram ser favoráveis à homenagem.

O local sugerido fica na Rua Deputado Heitor Alencar Furtado, no Mossunguê, em frente ao Edifício Burle Marx, onde Fábio Buchmann morou durante muitos anos. É uma meia-lua, gramada e arborizada, que não tem nome. Seu pai, o também jornalista Ernani Buchmann, ainda reside do edifício.

O arquiteto Mauro Magnabosco, ex-presidente do IPPUC, também entusiasta do movimento, verificou com a Secretaria Municipal do Meio-Ambiente a situação do terreno. ‘‘A área pertencia originalmente à construtora responsável pelo edifício. No início dos anos 90, quando houve a aprovação do projeto na prefeitura, aquele espaço foi cedido ao poder público. Não existe nenhum obstáculo para que o local receba o nome de Jardinete Fábio Buchmann’’, declarou o ex-presidente do IPPUC.