Homens que se passavam por policiais para praticar extorsão são presos

Andreza Rossini e Assessoria


Uma equipe de investigação da Delegacia de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba,  prendeu em flagrante  quatro homens com idades entre 30 e 45 anos, suspeitos de comprar dívidas e se passar por policiais para intimidar as vítimas e extorquir dinheiro. Eles usavam documentos falsos da Polícia Civil.

A quadrilha foi descoberta porque uma das vítimas registrou Boletim de Ocorrência. “Se diziam policiais, hora diziam que conheciam policiais em Araucárias e que nada aconteceria”, disse na delegacia.

Com o objetivo de ajudar a polícia, a vítima, que já vinha sido ameaçada, avisou que o quarteto tinha marcado um encontro para receber o dinheiro. “O encontro foi num posto de combustíveis próximo à Delegacia de Araucária, no bairro Porto das Laranjeiras, para negociar a dívida”, disse João Marcelo Renk Chagas, delegado-titular da Delegacia de Araucária.

De acordo com o delegado, o valor da dívida do empresário era de R$ 22 mil e ele alega já ter pago R$ 10 mil. “Faltava R$ 12 mil, mas os suspeitos ainda cobravam os R$ 22 mil”, disse.

Inicialmente as dívidas eram relativas à compra e venda de batatas. “Há outras conversas em celulares apreendidos, em relação a compra e venda de carros por exemplo, que ainda serão investigadas”.

Foi realizada a abordagem e no carro dos bandidos foram encontrados um soco inglês, com uma lâmina e dois “porretes” de madeira, bem como uma carteira na posse de um desses elementos com identificação da “Academia Nacional de Investigações e Segurança” intitulando-o “Agente Secreto”.

“Cometer um crime eu sei que não dá nada, não vou ficar prezo, dizia o homem que se passava por policial civil”, afirmou o delegado. Todos os suspeitos foram ouvidos na delegacia e negaram os crimes. Eles estão à disposição da Justiça.

A polícia espera que apareçam outras vítimas após a divulgação do caso. “As pessoas precisam procurar a polícia se estiver sendo vítima”, alertou.

Os suspeitos estão presos na Delegacia e irão responder pelos crimes de formação de quadrilha e extorsão.

Previous ArticleNext Article