Hospital do Trabalhador reitera segurança após tentativa de sequestro de bebê

Redação

hospital do trabalhador sequestro bebê curitiba segurança

O superintendente do Complexo Hospitalar do Trabalhador, Geci Labres de Souza, ressaltou que os protocolos de segurança da instituição garantiram a segurança do bebê recém-nascido que esteve perto de ser sequestrado na noite de segunda-feira (12). Conforme a PM (Polícia Militar), a mulher de 23 anos presa recebeu R$ 10 mil para entregar a criança para uma vizinha dela, que mora em Colombo, na região metropolitana de Curitiba.

Segundo o superintendente, o Hospital do Trabalhador ainda não sabe por qual das três portas de emergência que a suspeita usou para entrar na instituição. Além disso, ele ressaltou que é de praxe que as mães acompanhem os bebês nos exames, mas que isso não foi feito devido à mulher não ter se sentido bem.

“Em relação a questão das portas de entrada, não existe o que fazer mais do que já é feito. É impossível, em um hospital com essa performance de atendimento, querer olhar o crachá de cada um. Em entradas de troca de plantão, entram mais de 100 pessoas em questão de minutos. O que ocorre é reiterar a exigência dos protocolos de saída porque foi isso que protegeu essa criança”, disse em entrevista à CBN Curitiba.

Sobre os protocolos de segurança na saída do hospital, Souza garantiu que há fiscalização intensa para que não ocorra qualquer caso de sequestro ou roubo de bebês.

“Não passa nenhuma criança ou malas fechadas porque pode estar levando um equipamento ou uma criança. São conferidas as pulseiras do bebê, da mãe, uma autorização de saída do hospital e documento com foto. Quando foi feita essa checagem, evidenciou-se que ela não tinha pulseira”, relata ele, contando que os profissionais do Hospital do Trabalhador agiram conforme os protocolos.

Por fim, Geni Souza ressaltou que a mãe e o bebê estão bem e em casa após o hospital cumprir a obrigação de cuidar da saúde e da segurança dos dois. “Temos 27 anos de atuação como uma grande maternidade da cidade e não houve nenhum desaparecimento, sumiço ou roubo de criança aqui”, finaliza ele, reiterando a eficiência da segurança no Hospital do Trabalhador.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="775509" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]