Coronavírus: hotéis do Paraná serão transformados em alojamentos para profissionais da saúde

Hotéis de diferentes municípios do Paraná, de maneira voluntária, serão transformados em alojamentos a partir da próxima..

CBN Curitiba - 22 de março de 2020, 09:02

Gilson Abreu/Defesa Civil
Gilson Abreu/Defesa Civil

Hotéis de diferentes municípios do Paraná, de maneira voluntária, serão transformados em alojamentos a partir da próxima semana para profissionais de saúde diretamente ligados ao controle e tratamento do coronavírus no Estado.

Dois hotéis em Curitiba, dois no Litoral (Guaratuba e Pontal do Paraná) e um Medianeira, na Região Oeste, já disponibilizaram seus espaços, totalizando 250 quartos.

Durante o período, esses locais serão dedicados exclusivamente para o isolamento dos profissionais da saúde, deixando de receber hóspedes comuns.

A duração do acordo depende do acerto individual com cada uma das empresas. A ideia é viabilizar parcerias similares em todo o Paraná.

PREPARAÇÃO 

Um desses hotéis, na região Central da Capital, ficará disponível a partir de segunda-feira (23) e passará a receber médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem, entre outras categorias, na quarta-feira (25), após uma ação de limpeza e esterilização por parte da Defesa Civil. O acordo vale, inicialmente, por 30 dias.

O trabalho de higienização dos 76 leitos disponíveis começou neste sábado (21). “Esses profissionais da área da saúde precisam de um espaço seguro para descansar, para seguir colaborando com o atendimento à população”, explicou o coordenador da Defesa Civil do Estado, tenente-coronel Fernando Schunig.

“Em algum momento eles não vão conseguir retornar para suas residências justamente para não aumentar o perigo. Então esses hotéis servirão como alojamento. É o Estado se preocupando com esses profissionais, uma questão de segurança pública”, acrescentou o coordenador.

Schunig explicou que a relação de profissionais que serão deslocados para esses espaços será definida pela secretaria de Saúde. Inicialmente, a intenção é que os hotéis sejam utilizados por profissionais da mesma cidade, facilitando a logística e o deslocamento. “É um ponto de apoio que busca facilitar um pouco a vida de quem está exposto ao risco mais do que ninguém”, afirmou.