Praias do Paraná tem 14 pontos impróprios para banho; 45 estão liberados

Jordana Martinez


O primeiro boletim de balneabilidade divulgado nesta sexta-feira (22) pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP)  mostra que, dos 59 pontos monitorados semanalmente no Litoral, 14 estão impróprios para banho. No interior, dos 17 locais monitorados, apenas um não é recomendado.

O monitoramento feito pelo instituto durante toda a temporada possibilita verificar a contaminação da água por esgoto sanitário clandestino e avalia a possibilidade de uso da água para atividades de lazer de contato primário, ou seja, de contato direto e prolongado com a água (tais como natação, mergulho, esqui-aquático).

“São medidos os níveis de Escherichia coli (E.coli) na água, que é um coliforme fecal e, dependendo do número de organismos detectados, a água se torna própria ou imprópria para banho, de acordo com critérios estabelecidos pelo Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente)”, explica a diretora de Monitoramento Ambiental e Controle de Poluição, Ivonete Chaves.

LITORAL – Entre os pontos impróprios, quatro estão em Morretes e Antonina, sete em Guaratuba, dois em Matinhos e um em Pontal do Paraná.

“São locais que se apresentam permanentemente como impróprios para banho pois, devido a análises que fazemos de maneira esporádica durante todo o ano, sempre apresentam concentração de coliformes fecais acima do limite legal. Nesses pontos o banho não é indicado em nenhum momento”, diz Ivonete.

INTERIOR – O monitoramento feito na Costa Norte e Oeste do Estado mostra que apenas o Rio Paranapanema, em Primeiro de Maio, está impróprio para banho devido à proliferação natural de algas. A qualidade da água é avaliada em 17 pontos de praias artificiais e represas da costa Norte e Oeste do Estado.

A avaliação acontece nas cidades de Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Itaipulândia, Missal, Santa Helena, Entre Rios do Oeste, Marechal Cândido Rondon e em Primeiro de Maio.

SINALIZAÇÃO – Como nos anos anteriores, o veranista pode se orientar de acordo com as bandeiras na orla das praias, nos rios e nos reservatórios, que indicam se os locais estão próprios ou impróprios para banho. A sinalização aponta a condição da água a 100 metros a direita e a esquerda de cada bandeira.

A cor vermelha aponta que a água não é recomendada e a azul que a região está própria para banho. “A água imprópria traz muitos prejuízos à saúde, como dermatites, problemas gastrintestinais e outras doenças mais graves. Por isso, esse monitoramento é importante, assim como o respeito à sinalização”, ressalta Ivonete.

balneabilidade

Previous ArticleNext Article
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.