IAP multa prefeitura de Maringá por despejo irregular de lixo

Andreza Rossini


Repórter Eduardo Xavier do Metro Maringá

A prefeitura de Maringá tem até o dia 29 deste mês para apresentar defesas de duas multas aplicadas pelo IAP (Instituto Ambiental do Paraná) por descarte incorreto de lixo.

Uma, no valor de R$ 10 mil, é por disposição irregular de resíduos sólidos urbanos a céu abeto na pedreira municipal. Outra, de R$ 1 mil, é por conta do funcionamento sem licença da usina de asfalto no local.

As sanções aplicadas pelo IAP em decorrência do despejo de lixo em área sem licenciamento ambiental é resultado de uma denúncia feita pelo vereador Homero Marchese (PV). O parlamentar entregou ao promotor do Meio Ambiente, José Lafaiete Barbosa Tourinho, fotografias e um vídeo feitos por meio de um drone, que mostram montes de galhos de árvores, pneus, móveis e lixo eletrônico e queimadas.

De acordo com a assessoria de imprensa do IAP, a respeito da multa pelo funcionamento irregular da usina de asfalto, a vistoria foi solicitada pela MP (Ministério Público). Segundo Marchese, o gabinete do vereador foi procurado pelo proprietário de uma empresa nas imediações da pereira municipal, que fica na estrada 200, na PR-317. “O empresário achou estranha a movimentação e a fumaça no local. As imagens feitas em setembro e outubro do ano passado foram entregues à gente e nós fizemos a representação no Ministério Público”, comentou Marchese.

A Promotoria do Meio Ambiente abiu um inquérito civil público. Segundo o IAP, os resíduos sólidos encontrados na área da pedreira foram coletados pelo programa da prefeitura “Bota Fora”, que recolhe entulhos em residências, principalmente para evitar a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue. O relatório mais recente da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), divulgado na semana passada, aponta que o município tem o maior número de casos da dengue no estado.

Entre agosto do ano passado e o último dia 10 de janeiro, Maringá contabilizou 141 casos da doença e 1.261 notificações de suspeitas. Prefeitura A diretoria de Comunicação da prefeitura informou que as defesas das multas ainda não foram apresentadas ao IAP, mas serão encaminhadas até o dia 29 deste mês.

Segundo a diretoria, o programa “Bota Fora”, entre fevereiro e dezembro do ano passado, realizou coletas em 42 bairros. Foram recolhidas cerca de 2.840 toneladas de resíduos que, de acordo com a assessoria, foram levadas para a Pedreira Ingá, empresa contratada pela prefeitura para dar destinação final ao lixo, diferente da denúncia de resíduos do “Bota Fora” transportados para pedreira municipal.

A Comunicação da prefeitura informou ainda que é feita a separação dos resíduos do “Bora Fora”e os produtos recicláveis são encaminhados para oito cooperativas credenciadas pelo município.

Previous ArticleNext Article