IAT e Polícia Ambiental resgatam 60 aves nativas em Pato Branco

Após a apreensão, as aves foram levadas para avaliação veterinária, a fim de atestar as condições de reintegração ao meio ambiente.

Redação - 27 de janeiro de 2022, 12:18

Foto: Divulgação/IAT
Foto: Divulgação/IAT

Uma operação conjunta do IAT (Instituto Água e Terra) e do Batalhão de Polícia Ambiental - Força Verde (BPAmb-FV) resultou na apreensão de 60 aves nativas apreendidas em Pato Branco, no Sudoeste do estado. Os animais estavam mantidos em cativeiro sem autorização do órgão ambiental.

A ação, que ocorreu nesta terça-feira (25) é resultado de uma denúncia recebida pela Força Verde. Após o registro da ocorrência, a Polícia Ambiental solicitou o apoio do IAT para o resgate e encaminhamento das aves.

“Pedimos à população que denuncie sempre os crimes ambientais para que possamos proteger nossa fauna e flora”, diz o tenente-coronel Júlio César Vieira da Rosa.

Entre as espécies, foram resgatados seis Pintassilgos, 22 Trinca-Ferros, 16 Azulões, cinco Coleirinhos, sete Canários da Terra, três Bicos de Pimenta e um Cardeal. Após a apreensão, as aves foram levadas para avaliação veterinária, a fim de atestar as condições de reintegração ao meio ambiente.

Do total, 33 animais foram considerados aptos para soltura e os demais serão encaminhados para empreendimentos de fauna licenciados pelo IAT.

“É importante explicar que essas aves não retornarão ao habitat natural porque não vão conseguir sobreviver na natureza. Muito provavelmente, isso é resultado das condições em que eram mantidas, o que prejudicou sua sobrevivência no habitat natural”, destaca a chefe da Divisão de Fauna do IAT, a bióloga Paula Vidolin.

O infrator identificado foi multado em R$ 30 mil, de acordo com as diretrizes legais de Crimes Contra a Fauna, previstas na Lei Federal nº 9.605/98.

De acordo com a chefe do Escritório Regional do IAT em Pato Branco, Flávia Ostapiv, o caso é ainda mais grave porque o infrator é reincidente. “Por este motivo, ele foi encaminhado para o Batalhão da Polícia Militar para que as devidas providências sejam tomadas”, afirmou.

É possível denunciar crimes ambientais pelo número 181 da Polícia Militar ou no Escritório Regional do Instituto Água e Terra mais próximo.