Incêndio em mercado de Ibiporã foi causado por ação humana acidental, conclui perícia

Relatório foi divulgado nesta quarta-feira (15). O documento revelou que as chamas se iniciaram durante o serviço de impermeabilização no teto.

Tarobá News - 15 de junho de 2022, 15:22

(Foto: Tarobá News)
(Foto: Tarobá News)

O Instituto de Criminalística de Londrina concluiu a perícia do supermercado Montana, de Ibiporã. O relatório, divulgado nesta quarta-feira (15), revelou que as chamas se iniciaram por ação humana acidental, durante o serviço de impermeabilização que era realizado no teto.

“Foram feitos todos os exames que são pertinentes e, ao final, observamos que foi um acidente. Uma ação humana caracterizada como acidental, ou seja, sem intenção do agente, no caso, a vítima fatal. Ele estava realizando um serviço em uma região localizada entre um forro de PVC e as telhas, um local bastante pequeno e de baixa ventilação", explicou o chefe do Instituto de Criminalística, Luciano Bucharles.

Anderson Rodrigues do Santos, de 43 anos, era o trabalhador que veio a óbito no local. Segundo a perícia, ele tentava amolecer uma manta asfáltica com o uso de gás liquefeito de petróleo (GLP), o gás de cozinha. Por conta da baixa ventilação do lugar, acabou acontecendo um acúmulo desse gás e, quando a vítima acendeu o maçarico novamente, o fogo começou.

As chamas atingiram as roupas de Anderson, que chegou a correr para tentar se salvar. "O forro PVC deu início a uma combustão muito rápida. Em menos de um minuto praticamente todo o supermercado estava tomado por uma densa fumaça de cor escura. Foi até um milagre não ter tido mais vítimas fatais", relatou Bucharles.

Além da vítima fatal, a tragédia deixou outras seis pessoas feridas, dentre elas o proprietário do estabelecimento.

INCÊNDIO EM SUPERMERCADO DE IBIPORÃ

O incêndio em um supermercado de Ibiporã ocorreu na tarde de 21 de março. A vítima que morreu era de uma empresa terceirizada e fazia um serviço de impermeabilização no teto do supermercado no momento do incêndio. O corpo dele foi retirado pelo telhado, com auxílio dos bombeiros. Do total de 100 funcionários, cerca de 60 estavam no estabelecimento.

Em entrevista para a TV Tarobá, o auxiliar administrativo do supermercado, Luiz de Menezes, afirmou na época que a manutenção do local estava em dia: "A gente não sabe dizer se realmente houve um curto [circuito]. De cima para baixo, a gente espera que seja fiação. Todo mês tem manutenção em tudo".