Incomodados, moradores prometem expor clientes de prostituição pelo WhatsApp

Redação


Os moradores das proximidades do Cemitério Municipal São José, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, conhecido por ser um ponto de prostitutas e travestis da cidade, começaram a divulgar por meio de redes sociais uma lista com placas e modelos de veículos que frequentam e contratam serviços de profissionais do sexo no local.

A ação é uma forma de protesto e busca coibir os frequentadores que costumam usar o serviço dentro dos veículos. “Esses que insistem em usar a frente de residências com crianças pequenas para seus pontos de prostituição, fique sabendo: a placa do seu carro vai ser divulgada na internet”, alerta a mensagem.

A atual lista conta com mais de 40 veículos que, supostamente, costumam usar os serviços de prostitutas, prostitutos e travestis.

Os moradores já conhecem a região entre a Travessa Pasteur e as ruas Frederico Balhs e Airton Playsant como corredores de prostituição. No mesmo local existem restaurantes, padarias e uma escola infantil.

Os vizinhos tentam há anos que os profissionais do sexo se mudem, mas como a atuação não é considerada crime, o poder público não pode intervir na situação.

Só há crime quando existe favorecimento à exploração sexual, trabalho dos conhecidos “cafetões” com pena prevista de dois a cinco anos de reclusão, ou por pertubação do sossego, outra reclamação dos moradores, mas as autoridades do município alegam dificuldades em flagrar esse tipo de situação mesmo intensificando o patrulhamento.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="376584" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]