Inmetro reprova mais de 1.600 brinquedos no PR; Pediatras alertam sobre riscos de produtos falsificados

Ana Cláudia Freire

O Instituto de Pesos e Medidas do Paraná (Ipem-PR) fiscalizou 79.517 produtos em todo o Estado – brinquedos e artigos infantis. Foram visitados 115 estabelecimentos comerciais. Ação integrou a Operação Especial Dia das Crianças, realizada em todo o País pelo Inmetro.

Uma ação feita pelo Ipem-PR – (Instituto de Pesos e Medidas do Paraná) durante a Operação Especial Dia das Crianças, realizada em todo o País pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), fiscalizou 79.517 produtos, entre brinquedos e artigos infantis.

Destes, 830 itens apresentaram irregularidades e 795 brinquedos foram apreendidos.

Ao todo foram visitados 115 estabelecimentos comerciais em todo Paraná, entre os dias 30 de setembro e 4 de outubro.

Objetivo da operação era verificar se os produtos tinham ou não o selo do Inmetro, que é obrigatório nos produtos nacionais e importados.

O presidente do Ipem-PR, Rubico Carmago, afirmou que o objetivo da operação era também impedir o comércio ilegal de produtos infantis. “A operação objetiva inibir a comercialização de produtos irregulares, porque eles podem oferecer riscos à criança, comprometendo a sua segurança e a saúde, principalmente”, afirmou.

Foram fiscalizados na operação brinquedos, berços, bicicletas, carrinhos para crianças e cadeirinhas utilizadas em veículos para transporte de bebês e crianças.

Pais e familiares devem ficar atentos na hora da compra. É preciso observar a idade indicada na caixa de cada produto, evitando assim que as crianças se machuquem ao manipular o produto. É muito comum que crianças pequenas engulam peças soltas, portanto, a informação sobre a faixa etária obrigatoriamente deve estar na embalagem dos brinquedos e artigos infantis.

Divulgação/AEN

Os fiscais verificam ainda se os produtos trazem o conjunto de informações obrigatórias, como dados do fabricante ou do importador, CNPJ da empresa fabricante, país de origem, faixa etária indicada e, principalmente, o selo de identificação da conformidade. É obrigatório que todos as informações estejam em português.

PEDIATRAS ALERTAM: BRINCAR É COISA SÉRIA

Para o médico especialista em pediatria e neonatologia, Dr. Luiz Renato Valério, do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, brincar é coisa séria. “A criança que brinca se desenvolve socialmente, emocionalmente, nos aspectos da alegria e da felicidade. Se brincadeira vier acompanhada do brinquedo correto, melhor ainda. Criança que brinca é mais feliz e desenvolve melhor suas habilidades individuais”, afirma.

O pediatra alerta ainda aos pais para que interajam com seus filhos durantes as brincadeiras, fortalecendo laços e evitando assim que crianças passem muito tempo em contato com produtos eletrônicos, como celular. “As crianças estão brincando muito menos do que deveriam. Muitas vezes, quando brincam, buscam atividades com pouca qualidade, como passar horas no celular, o que acaba por não ajudar no desenvolvimento de suas habilidades”, explica o médico.

Para as crianças menores, o cuidado está principalmente nos produtos de origem duvidosa. O que é mais barato nem sempre tem mais qualidade e pode trazer uma série de riscos à saúde da criança.

5 DICAS DE CUIDADOS PARA OS PAIS

1.Evite comprar brinquedos sem saber a sua origem. Procure lugares de referência e que passam por fiscalização constante.

2. Procure brinquedos que não soltem facilmente peças pequenas. Crianças são curiosas e exploradoras – podem tentar desprender uma peça e levá-la à boca. A faixa de idade mais crítica é entre os sete meses e os cinco anos, quando a criança tende a colocar tudo na boca.

3. Não compre brinquedos que não tenham uma comprovação do uso de tinta atóxica.

4 .Olhe sempre a indicação da faixa etária e siga a orientação de uso. Verifique se há o selo do Inmetro e se o brinquedo é adequado apara o desenvolvimento da criança.

5. Em caso de ingestão de alguma peça a  criança deve ser levada imediatamente ao pronto socorro mais próximo. Nunca deixe uma criança sozinha durante uma brincadeira, sem a supervisão de um adulto.

OPERAÇÃO “ESPECIAL DIA DAS CRIANÇAS”

Fiscais percorreram o comércio varejista e atacadista em todo o território nacional para examinar se brinquedos, dispositivos de retenção para crianças (as cadeirinhas de veículos), carrinhos para crianças e berços infantis atendem aos regulamentos técnicos estabelecidos pelo Inmetro.

Os Estados que conseguiram retirar do mercado a maior quantidade de produtos irregulares foram Rio de Janeiro (53.667 brinquedos e um berço), Bahia (8.720 brinquedos) e São Paulo (4.445 brinquedos, um dispositivo de retenção para crianças e 10 berços infantis).

Os estabelecimentos em que foram encontradas irregularidades têm até dez dias para apresentar defesa ao Instituto e estão sujeitos às penalidades previstas na lei, com multas que variam de R$ 100 a R$ 1,5 milhão.

Os consumidores podem apresentar denúncias por meio da Ouvidoria do Inmetro pelo telefone 0800 285 1818, formulário online e registrar acidentes no Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (Sinmac), no endereço: www.inmetro.gov.br/sinmac.

 

 

 

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista - Chefe de Redação do Paraná Portal