Instituições pedem que policiais usem câmeras nas fardas

A justificativa para a adoção do uso do equipamento é o aumento no número de mortes em confrontos policiais no Paraná.

Larissa Biscaia - BandNews FM Curitiba - 28 de abril de 2022, 11:00

Foto: Divulgação/PMSC
Foto: Divulgação/PMSC

Os agentes de segurança pública do Paraná podem passar a usar câmeras nas fardas e nas viaturas. Isso porque diversas instituições do sistema de Justiça fizeram uma solicitação ao governador do Paraná, Ratinho Júnior (PSD), por meio de uma carta, enviada nesta quarta-feira (27). As informações são da Bandnews Curitiba.

A justificativa é o aumento no número de mortes em confrontos policiais. Em São Paulo, o uso dos equipamentos causou redução de 85% nas mortes, no período de 7 meses.

Assinam a carta a Defensoria Pública do Estado, o Ministério Público do Paraná, o Tribunal de Justiça, a Ordem dos Advogados do Brasil no Paraná e a Universidade Federal. O reitor da instituição, Ricardo Marcelo Fonseca, defende que a iniciativa é sobre cidadania.

"A Universidade Federal do Paraná entra nessa iniciativa que nos parece muito cidadã, para que essa prática nas forças policiais com a respectiva filmagem possa ser implementada no estado. A universidade entra num aspecto mais amplo, inclusive disponibilizando a possibilidade de lecionar conteúdos de direitos fundamentais e humanos para todo o sistema de justiça e na formação dos nossos policiais", afirma.

Na análise do doutor em Ciências Sociais e pesquisador em segurança pública, Cezar Bueno de Lima, a ação pode mudar a conduta de trabalho policial.

"As câmeras nas fardas de PM's representa uma medida importante e que com o tempo pode contribuir, inclusive, com a mudança de práticas do policiamento de rua, em relação à prevenção e controle do crime, preservando vidas. Num segundo momento, a medida também é uma contribuição importante para a redução das taxas de letalidade por confrontos policiais", observa.

Foto: Arquivo/PMPR

O pesquisador defende que a redução da letalidade está ligada à promoção dos direitos humanos.

"A privacidade não autoriza você a aumentar a taxa de letalidade. A questão é porque desde a adoção do uso das câmeras nas fardas da PM houve redução da letalidade. Iniciativas de induzir na prática ações policiais pacíficas de gestão de conflitos podem resultar no aumento da confiança e legitimidade da própria polícia", completa.

Questionado pela reportagem, o Governo do Estado afirma que tem um projeto piloto de câmeras incorporadas às fardas. Uma comissão da Polícia Militar verifica o modelo utilizado em outros estados. O custo estimado é de R$ 21 milhões para a compra de 500 dispositivos. A reportagem aguarda um posicionamento da Secretaria de Estado da Segurança Pública.