Decretos não aumentaram índice de isolamento social no Paraná

Angelo Sfair

ratinho junior, decretos, paraná, coronavírus, covid-19, isolamento domiciliar, ranking, índice

Os dois decretos baixados pelo Governo do Paraná no último final de semana não resultaram no aumento do índice de isolamento social. De acordo com a empresa InLoco – que utiliza uma dados de geolocalização de uma base de 60 milhões de dispositivos móveis -, o porcentual de paranaenses que conseguiu ficar em casa permaneceu estável.

A diferença entre as duas últimas semanas foi de apenas 1% (veja o comparativo abaixo). Com a variação inexpressiva, não é possível afirmar que as medidas anunciadas por Ratinho Junior surtiram o efeito desejado. Os casos de coronavírus no Paraná aceleram e romperam, ontem (26), a marca de 18 mil diagnósticos. A Covid-19 já matou 551 pessoas.

No ranking de isolamento social por estados, o Paraná aparece com o 9.ª pior índice, atrás de Pará, Santa Catarina, Sergipe, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Goiás e Tocantins.

ISOLAMENTO SOCIAL NO PARANÁ

  • De 15 a 19 de junho (segunda a sexta)
    • 15/06: 36,8%
    • 16/06: 36,8%
    • 17/06: 35,4%
    • 18/06: 36,7%
    • 19/06: 34,2%
    • Média: 36%
  • De 22 a 28 de junho (segunda a sexta)
    • 22/06: 36,7%
    • 23/06: 36,9%
    • 24/06: 36,8%
    • 25/06: 37,8%
    • 26/06: 37,1%
    • Média: 37%

GOVERNO APOSTA NA CONSCIENTIZAÇÃO

Em um mês, os casos de coronavírus no Paraná quintuplicaram. Passaram de 3.512, no dia 26 de maio, para 18.464 em 26 de junho.

Apesar aceleração da curva de contágio, o Governo do Paraná e a Prefeitura de Curitiba ainda apostam na conscientização da população. O apelo é para que todos usem máscaras, evitem aglomerações e pratiquem o distanciamento social quando o isolamento domiciliar não fora possível.

Na segunda-feira (22), passaram a valer dois decretos. Um, de abrangência estadual, recomendou a proibição da venda e do consumo de bebidas alcoólicas a partir das 22h. O segundo, válido para a Grande Curitiba, estendeu algumas medidas da capital para o municípios da região metropolitana.

O horário do comércio foi reduzido e os shopping não abriram aos finais de semana. No entanto, as medidas não foram suficientes para aumentar o índice de isolamento social. As aglomerações no transporte público coletivo continuar a ser um obstáculo para a administração pública.

Nesta semana, um grupo de empresários protocolou um abaixo-assinado, com mais de 15 mil assinaturas, que pede o fechamento total em Curitiba.

Previous ArticleNext Article