Jovem faz escova progressiva tem parada cardiorrespiratória e vai parar na UTI

Redação

"Me sinto cansada, como muita dor de cabeça, muita dor no peito. Eu não consigo respirar direito, não tenho força pra nada", diz a jovem que precisou ir para UTI depois de uma escova progressiva
progressiva escova salão veleza cascavel parada cardiuorrespiratória uti

Uma jovem de Cascavel, na Região Oeste do Paraná, precisou ir para a UTI  depois de sofrer uma parada cardiorrespiratória, por conta de escova progressiva, feita em um salão de beleza.

Magali Rosa dos Santos contou que já havia feito duas progressivas anteriormente, mas que nunca havia usado formol na química da progressiva. Segundo a jovem, no último dia 17, ela procurou um salão de beleza e a profissional que fez a escova não informou do uso do produto. Magali começou a passar mal assim que iniciou o processo da escova, ainda no salão.

“Eu vim pra casa e não estava aguentando de dor. Saia sangue do meu nariz e entrei debaixo do chuveiro para tirar aquilo da minha cabeça […] aí eu comecei a me sentir mal, meu filho de cinco anos conseguiu ligar pro pai e aí eu fui pro hospital”, conta a jovem.

Ao chegar ao hospital, Magali teve uma parada cardiorrespiratória e precisou ser entubada permanecendo por três dias na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital do Coração.

“Voltei pra casa depois de três dias de UTI e dois no quarto, mas sinto cansada, como muita dor de cabeça, muita dor no peito. Eu não consigo respirar direito, não tenho força pra nada”, desabafou.

VEJA O VÍDEO DA JOVEM QUE FEZ UMA ESCOVA PROGRESSIVA E FOI PARAR NA UTI

Vídeo enviado para a Tarabá News, em Cascavel. 

A jovem registrou um Boletim de Ocorrência e a PCPR (Polícia Civil do Paraná) instaurou inquérito para investigar o caso. Para a delegada Anna Palodeto  é muito cedo para caracterizar o caso como criminal: “Todos os elementos serão reunidos e se verificado realmente uma conduta criminosa, podendo até mesmo ser por parte do próprio produtor do cosmético utilizado, aí as providências serão tomadas. Volto a dizer que ainda é muito cedo para termos algum tipo de atribuição de conduta delituosa de quem quer que seja”, explicou a delegada.

Todos os envolvidos devem prestar declarações para polícia ainda nesta semana nesta semana. O inquérito tem o prazo de 30 dias para ser concluído.

 

Previous ArticleNext Article