Acusados de participar de grupo neonazista vão a júri popular

Francielly Azevedo

juri tribunal feminicídio

Sete pessoas acusadas de participar de um grupo neonazista vão a júri popular, nesta quinta-feira (1º), no Tribunal do Júri, em Curitiba. Todos os réus respondem pelos crimes de racismo, apologia ao nazismo e associação criminosa. Além disso, três deles são acusados por tentativa de homicídio. Os crimes teriam ocorrido em 2005.

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR), no dia 18 de setembro de 2005, os integrantes do grupo atentaram contra a vida de pessoas e espalharam nas rua de Curitiba cartazes ofensivos a pessoas negras, homossexuais e judeus.

Oito pessoas são rés no processo. No entanto, uma delas, Edwiges Francis Barroso, teve o julgamento adiado após uma liminar. Três dos envolvidos são acusados de agredir e tentar matar um negro e um homossexual em Curitiba.

Eles chegaram a ser presos, mas todos respondem o processo em liberdade.

O Grupo Dignidade, que atua na área da promoção da cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexuais (LGBTI+), se manifestou em relação ao julgamento. “O Grupo Dignidade, entidade que acompanha desde o início este caso que finalmente vai a julgamento, espera que o resultado seja exemplar. A sociedade brasileira não tolera mais manifestações de preconceito, ainda mais quando resulta em agressões com clara intenção homicida. O repúdio a tais práticas se dá, ainda, em face de todas as formas de expressão do machismo, racismo, xenofobia, LGBTIfobia ou quaisquer outras práticas delituosas”, diz a nota.

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.