Justiça aceita denúncia contra empresa acusada de pirâmide financeira

Redação

Justiça aceita denúncia contra empresa acusada de pirâmide financeira

A 10ª Vara Criminal de Curitiba aceitou denúncia contra uma empresa acusada pelo MPPR (Ministério Público do Paraná) de criar um modelo de pirâmide financeira na capital paranaense.

Segundo a denúncia oferecida pelo MPPR, por meio da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de Curitiba, a empresa teria lesado ao menos 113 pessoas em um esquema de captação de recursos sob a promessa de altos rendimentos.

Foram denunciados sócios e funcionários dessa empresa pelos crimes de organização criminosa, falsidade ideológica, estelionato e lavagem de capitais.

A empresa denunciada atuava no bairro Água Verde e teria cometido o esquema de pirâmide financeira entre 21 de junho de 2017 e 2 de abril de 2019.

As investigações do MPPR apontaram que os seis sócios e três funcionários da empresa conseguiram captar quase R$ 7 milhões das vítimas com promessas de rentabilidade de até 50% em até três meses.

Esses lucros seriam obtidos por meio de operações de trade na Bolsa de Valores, sendo que os operadores financeiros da empresa afirmavam que ainda existia um seguro para garantir a manutenção das receitas.

Mas as vítimas não receberam os juros e nem mesmo o capital investido junto a empresa.

Ainda segundo as investigações, quando os operadores da empresa perceberam que não conseguiriam honrar os compromissos com os primeiros clientes, adotaram uma tática ainda mais agressiva, com os recursos recebidos usados para evitar que os antigos investidores buscassem a polícia.

Os operadores financeiros ainda chegaram a modificar o capital social da empresa de R$ 10 mil para R$ 50 milhões, inserindo em um documento público declaração falsa, mesmo sem a autorização para que o grupo trabalhasse no mercado de valores mobiliários.

O grupo ainda utilizava pessoas próximas para repassar bens adquiridos com os recursos recebidos das vítimas, com o intuito de dificultar o confisco desses itens em caso de investigação policial.

LEIA MAIS: Polícia Científica do Paraná vai usar robô para elucidar casos de estupro

Previous ArticleNext Article