Justiça apresenta denúncia contra mãe suspeita de matar o filho de quatro meses

Andreza Rossini e Assessoria


A 6ª Promotoria de Justiça de Paranaguá, no litoral do Paraná, apresentou nesta quinta-feira (30), denúncia criminal contra uma mulher acusada de torturar até morte do próprio filho de quatro meses de idade.

O crime aconteceu no dia 8 de agosto. A ré também está sendo investigada pela morte de outros dois filhos, um falecido no ano passado e outro há três anos.

No início, o caso foi tratado como maus tratos que resultaram na morte da criança, entretanto, após análise do inquérito policial, o MP entendeu que em nenhum momento a denunciada agiu com o propósito de corrigir a criança, mas por estar irritada com o choro do bebê.

De acordo com o  inquérito policial, a mulher teria tampado, com uma das mãos, a boca e o nariz do bebê e pressionado-lhe o tórax para que parasse de chorar. O bebê foi socorrido pela avó, que encaminhou o neto, contra a vontade da mãe, a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). A criança chegou a ser atendida, mas não resistiu aos ferimentos.

Os casos dos outros dos filhos haviam sido tratados com acidente à época e agora passaram a ser investigados pelo Nucria.

A suspeita está presa no Setor de Carceragem Temporária da 1ª Subdivisão de Polícia de Paranaguá.

O Ministério Público do Paraná indica como qualificadoras do homicídio o motivo fútil, o meio cruel e a impossibilidade de defesa da vítima, bem como a previsão de acréscimo da pena em um terço pelo fato de a vítima ser criança e a agravante de ser tratar de crime cometido contra o próprio filho. A pena pode passar de 30 anos de prisão.

Os casos dos outros dois filhos haviam sido tratados como acidente, mas, após a morte da criança de quatro meses, passaram a ser investigados pelo Nucria.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="549808" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]