Justiça condena à prisão falso nutricionista em Ponta Grossa

Vanessa Fernandes - CBN Curitiba

Um homem que atuava irregularmente como nutricionista em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais, foi condenado a oito anos e quatro meses de prisão, em regime fechado, por falsificação e venda de medicamentos sem registro, omissão da qualidade de produtos indicada aos clientes e falso exercício da profissão.

Na ação são citadas cinco vítimas do falso profissional de nutrição que receberam indicação para uso de remédios para emagrecer e suplementos alimentares sem indicação de procedência. O próprio réu vendia os produtos.

De acordo com a Promotoria, o falso nutricionista “consciente da ilicitude e reprovabilidade de sua conduta, voluntariamente, vendeu medicamentos sem as características de identidade e qualidade admitidas para a sua comercialização, em estabelecimento sem licença da autoridade competente e de procedência ignorada”, e também “exerceu a profissão de nutricionista, sem preencher as condições a que por lei está subordinado o seu exercício”.

Os crimes foram praticados entre março de 2016 e março de 2017. Além da pena de prisão, o condenado deve pagar multa aproximada de pelo menos R$ 71.250,00 (855 dias-multa, sendo o valor do dia-multa fixado em 1/15 do salário-mínimo vigente à época dos fatos, valor ainda sem correção monetária). Da decisão ainda cabe recurso.

Previous ArticleNext Article