Justiça aceita denúncia e jogador suspeito de matar dirigente vira réu por homicídio

Redação

Justiça aceita denúncia e jogador suspeito de matar dirigente vira réu por homicídio

A Justiça aceitou nesta quinta-feira (1) denúncia do MPPR (Ministério Público do Paraná) e transformou em réu o jogador de futebol Vinicius Corsini, suspeito pelo homicídio do então presidente do Nacional de Rolândia, José Danilson.

Dessa forma, Corsini irá responder pelo crime de homicídio qualificado pelas seguintes ações: utilizou de meio cruel, motivo torpe e a vítima não teve chance de defesa.

A pena pode ultrapassar 20 anos de detenção em regime fechado.

Corsini está preso preventivamente e a promotoria do MPPR defende que o jogador seja julgado por júri popular.

José Danilson tinha 58 anos e foi esfaqueado quando deixava a empresa em Rolândia, no norte do Paraná, no dia 16 de setembro.

ENTENDA O CASO

A motivação do crime apontada pela Polícia Civil do Paraná é o descontentamento do atleta por flertes do dirigente com a própria mãe, mesmo que o eventual casal não tivesse concretizado qualquer relação física. Em depoimento, Corsini admitiu a autoria do crime.

O jogador pediu rescisão do vínculo com o Nacional no início deste ano. Ele defendeu o clube em 2018 e chegou a ser emprestado ao São Paulo Crystal, da Paraíba, no ano passado.

Contudo, a polícia não evidenciou qualquer problema na relação entre Corsini e Danilson por motivos profissionais e apresentou à Justiça os contratos do atleta.

“Ele conseguiu se aproximar da vítima porque era conhecido e a vítima não sabia que seria golpeada. Então foi surpreendido”, explicou o delegado Bruno Silva Rocha ao Paraná Portal.

Danilson chegou a ser socorrido com vida após sofrer entre cinco a sete lesões de faca. Mas durante cirurgia no Hospital do Coração de Londrina, não resistiu aos ferimentos e veio a óbito no local.

LEIA MAIS: Luz Oculta: operação mira fraudes em licitação e violação de direito autoral

Previous ArticleNext Article