Justiça determina que marido acusado de matar Tatiane Spitzner vá a júri popular

Vinicius Cordeiro

Luís Felipe Manvailer, acusado de matar a própria esposa, Tatiane Spitzner, e arremessá-la do quarto andar do prédio em que moravam em Guarapuava, na região central do Paraná, vai ao Tribunal do Júri.

A determinação da Justiça foi dada nesta sexta-feira (17) pela juíza Paola Gonçalves Mancini de Lima, da Comarca de Guarapuava. Ela absolveu Manvailer pelo crime de cárcere privado, mas manteve sua prisão preventiva.

“Os argumentos trazidos pela defesa não são capazes de rechaçar, de plano, a tese acusatória, tendo em vista que as circunstâncias em que Tatiane sofreu a queda da sacada estão permeadas de dúvidas insanáveis (…) e não foram trazidas provas cabais de inocência. Entendo que existem indícios suficientes de que a autoria do delito de homicídio, em tese, praticado contra a vítima Tatiane Spitzner, recai sobre o acusado“, afirma um trecho do despacho.

Manvailer é acusado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) por homicídio qualificado (por motivo torpe, asfixia mecânica, dificultar a defesa da vítima e feminicídio), além de fraude processual (por tentar adulterar a cena do crime).


Na última segunda-feira (13), a defesa protocolou suas alegações finais, argumentando que Manvailer teria que ter a força de um guindaste para arremessar Tatiane. Ela solicitava à Justiça absolvições nos crimes de fraude processual e cárcere privado (acatado), além de não ser levado a júri popular.

De acordo com a denúncia, Luis Felipe matou a advogada após diversas agressões físicas que teriam iniciado após um desentendimento ocorrido em virtude de mensagens em redes sociais, agindo por motivo fútil e desproporcional.

O réu foi interrogado em março, mas optou por permanecer em silêncio. Em sua breve declaração, negou que tenha matado a esposa e afirmou que a família da advogada influenciou algumas testemunhas.

O crime

Tatiane foi encontrada morta no apartamento em que morava com Manvailer no dia 22 de julho de 2018. Um vídeo mostra ela sendo agredida antes de entrar no prédio, no estacionamento, no elevador, e a queda do 4º andar. Depois, o suspeito busca o corpo, leva ao apartamento, limpa os vestígios de sangue no corredor e elevador e foge do local por uma saída alternativa do estacionamento.

Confira imagens da noite:

Post anteriorPróximo post