Justiça nega pedido de soltura de Cristiana Brittes

Andreza Rossini


A Justiça negou o pedido de soltura de Cristiana Brittes, acusada de envolvimento na morte do ex-jogador Daniel Correa Freitas. A decisão é do juiz de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, onde Daniel foi assassinado.

O pedido de liberdade foi apresentado pela defesa na última semana.

A informação foi confirmada pelo Ministério Público do Paraná.

“A defesa ofereceu embargos de declaração, pois o juiz não esgotou todos os argumentos defensivos. Com isso não se tem ainda uma decisão que negue ou conceda a liberdade para Cristiana”, afirma a nota divulgada pelo advogado de defesa, Claudio Dalledone Junior.

Edison Brittes, marido de Cristiana, confessou o assassinato. Ele alega que o ex-jogador tentava estuprar Cristiana. O delegado responsável pelo caso afirma que não houve tentativa de estupro.

Ao todo, sete pessoas estão presas nas investigações pela morte do atleta. Edison Brittes, Cristiana Brittes, Allana Brittes, filha do casal, David Vollero Silva, Ygor King, Eduardo Henrique da Silva e Eduardo Purkote Chiuratto. Todos serão indiciados por homicídio qualificado.

O caso

Daniel foi encontrado mutilado, com o pênis cortado, em um matagal de São José dos Pinhais. O crime ocorreu após o aniversário de 18 anos da filha do casal, Cristiana e Edison, Allana Brittes. A festa começou em uma balada de Curitiba, no dia 26 de outubro, e seguiu para casa de Allana, onde começaram as agressões ao ex-jogador.

Edison afirma que ele estava no quarto tentando estuprar Cristiana.

O delegado responsável pelo caso, Amadeu Trevizan, já declarou que a família Brittes mentiu nos depoimentos e que teriam formulado uma história, podendo ser indiciados também por coação de testemunhas.

Previous ArticleNext Article