Justiça ouve sete testemunhas sobre morte de youtuber em Paranaguá

Andreza Rossini


Sete testemunhas, entre defesa e acusação, serão ouvidas na tarde desta terça-feira (10), em Paranaguá, no litoral do estado, durante nova audiência de instrução e julgamento sobre a morte da youtuber e modelo Isabelly Cristine Santos, 14 anos, assassinada com um tiro na cabeça, na PR-412, em Pontal do Paraná, em fevereiro deste ano.

Segundo a defesa dos irmãos Everton e Cleverson Vargas , quatro testemunhas devem afirmar que o motorista que dirigia o carro, Herbert Luiz de Felix, tem um histórico de violência . De acordo com o advogado, Claudio Dalledone Júnior, as testemunhas são pessoas próximas a Herbert e que precisaram recorrer a autoridade policial por conta de seu comportamento. “São quatro mulheres que trarão a luz da justiça a verdadeira face de Herbert”, concluiu Dalledone.

Esta será a segunda audiência sobre o caso. Ao todo, sete testemunhas serão ouvidas, sendo três de acusação.

Os depoimentos serão tomados no Fórum de Paranaguá, a partir das 15h.

Os dois irmãos seguem detidos no Centro de Triagem de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba. De acordo com a denúncia, Everton vai responder pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil ou torpe e também pelo porte ilegal de arma, já que ele tinha o registro do armamento, mas não o porte.

Já Cleverson Vargas, que dirigia o veículo, vai responder por homicídio qualificado, mas como partícipe, e por embriaguez ao volante.

Os dois assumiram que beberam e as comandas apontaram que eles consumiram 8 garrafas de cerveja antes do crime acontecer.

O caso

Isabelly voltava do balneário Shangri-la, onde havia gravado uma entrevista com o MC Gustta para o canal que tem no Youtube, no dia 14 de fevereiro. Na PR-412, um motorista que discutia no trânsito teria sacado uma arma e disparado contra o carro onde ela estava com a família. Isabelly foi baleada na cabeça e teve morte cerebral no dia seguinte, no hospital.

Os irmãos suspeitos do crime alegam que voltavam para casa no balneário de Canoas, em Pontal do Paraná, quando o carro em que Isabelly estava cruzou o caminho deles enquanto dava um “cavalo-de-pau”.

Em seguida, segundo os irmãos, o carro retornou na direção deles, o que levou Everton a “entrar em pânico”, imaginando que se tratasse de um assalto, e atirar.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="535599" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]