Justiça nega pedido do MP para que Governo do Paraná suspenda atividades não essenciais

Jorge de Sousa

Justiça nega pedido do MP para que Governo do Paraná suspenda atividades não essenciais

O juiz Roger Vinicius Pires de Camargo Oliveira da 3ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba indeferiu nesta sexta-feira (12), o pedido do Ministério Público do Paraná para que o Poder Executivo suspendesse as atividades não essenciais no estado.

O Ministério Público do Paraná pedia a edição do último decreto estadual, emitido na última sexta-feira (5), que liberou as atividades não essenciais desde a última quarta-feira (10).

O órgão solicitou na ação civil pública que as atividades não essenciais ficassem restritas até que se registrasse uma queda no número de casos da Covid-19 e uma estabilização na casa dos 80% na taxa de lotação dos leitos de UTI no estado.

“Indubitável que o Estado do Paraná, por meio de seus agentes, mormente aqueles ligados à saúde, estão diariamente passando à população a necessidade do uso de máscara, de álcool em gel, do distanciamento social e, ainda, da extrema obrigação da vacinação em massa”, pontuou o magistrado na decisão.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, o Paraná registrou nas últimas 24 horas, novos 5.639 casos e 175 mortes, sendo que 96% dos leitos de UTI em todo estado estão ocupados.

Leia na íntegra a decisão do juiz Roger Vinicius Pires de Camargo Oliveira da 3ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba

LEIA MAIS: Curitiba entra em lockdown após recorde de mortes pela Covid-19

Previous ArticleNext Article