Limite de velocidade na Silva Jardim vai para 50 km/h em janeiro

Redação


A prefeitura informou nesta quinta-feira (17) que a partir de janeiro, a Avenida Silva Jardim terá limite de velocidade de 50 km/h.  Na primeira semana do ano novo, a Setran (Superintendência de Trânsito) fará a substituição das placas indicativas com o novo limite de velocidade.

A Avenida Silva Jardim está em terceiro lugar na lista com vias onde acontecem um grande número de acidentes. Os dados são do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran). Ela vem logo atrás das avenidas Comendador Franco (avenida das Torres) e Visconde de Guarapuava.

Em 2019, a Silva Jardim registrou 496 acidentes.

“Esta alteração está em concordância com os objetivos e metas do Programa Vida no Trânsito (PVT), chancelado pela ONU, que agora entra em sua segunda década de ação pela segurança no trânsito. E agrega o conceito de ‘visão zero’”, explica a superintendente de Trânsito, Rosangela Battistella.

O “Visão Zero no Trânsito” propõe intensificar intervenções na infraestrutura viária, ações de educação e de fiscalização de trânsito, de forma a minimizar consequências do erro humano. Esse programa começou na Suécia e acabou sendo incorporado por diversas cidades ao redor do mundo.

50 km/h em outras vias

Nos últimos meses, o limite de velocidade de 50 km/h já havia sido unificado na Avenida Visconde de Guarapuava, após a conclusão dos trabalhos de recuperação no pavimento. Binários de trânsito implantados nos últimos anos pela cidade também vieram alinhados com essa nova velocidade máxima. É o caso dos binários Mateus Leme-Nilo Peçanha (do bairro São Lourenço ao São Francisco), João Alencar Guimarães-Major França Gomes (Santa Quitéria) e Nova Aurora-Ourizona (Sítio Cercado).

Já os trechos próximos a escolas continuam com velocidade máxima permitida de 30 km/h. Em algumas quadras, onde há maior concentração de pedestres, o limite de velocidade permanece em 40 km/h. Assim, atende-se à regulamentação do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

“Estudos diversos comprovam que a velocidade média e a fluidez no trânsito melhoram com vias urbanas em velocidades regulamentadas em 40 km/h e em 50 km/h”, aponta Rosangela.  Ela destaca ainda o artigo 1º do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Esse artigo diz que “os órgãos e entidades pertencentes ao Sistema Nacional de Trânsito darão prioridade em suas ações à defesa da vida, nela incluída a preservação da saúde e do meio-ambiente”.

 

Leia também: Grupo de hospitais arremata Santa Casa de Colombo por R$ 9,1 milhões

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="734913" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]