Linha Verde: suspensa a licitação de obras na região do Atuba

Trecho está entre as estações Solar e Atuba, que está sem mudanças desde o final do ano passado. Os envelopes seriam abertos nesta quarta-feira (4).

Johan Gaissler - 04 de maio de 2022, 13:06

(Foto: Ilustração/IPPUC)
(Foto: Ilustração/IPPUC)

A licitação das obras da Linha Verde, em Curitiba, foi suspensa pela prefeitura da capital paranaense. O trecho se refere à região do Atuba, entre as estações Solar e Atuba, que está sem mudanças desde o final do ano passado. Os envelopes seriam abertos nesta quarta-feira (4).

Está previsto um investimento de R$ 123,6 milhões no chamado 'lote 4.1', que envolve um trecho de encontro das rodovias BR-116 e BR-476 com a avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, que vem do bairro Santa Cândida.

Na região, há o Trevo do Atuba, e a promessa é a construção de uma trincheira para melhorar o trânsito na região, que fica mais ainda complicado com as obras paralisadas

Por meio de nota, a Prefeitura de Curitiba informou que a suspensão é uma decisão para "ajustar o edital e minimizar possíveis recursos administrativos que impactariam na retomada das obras". A previsão é que um novo edital seja publicado nas próximas semanas.

OBRAS PARALISADAS NO LOTE 4.1 DA LINHA VERDE

As obras estão paralisadas no lote 4.1 da Linha Verde desde o final do ano passado. Em dezembro, o contrato com o consórcio responsável pela realização delas foi rescindido "pela não realização dos serviços contratados".

O Consórcio Estação Solar (formado pelas empreiteiras Vale das Pedras e Construtora Triunfo S/A) já havia substituído a empresa Terpasul, que também não havia cumprido a realização das obras, em agosto de 2019.

A previsão de entrega das obras, primeiramente pela Terpasul, era para 2020. No entanto, apenas 4% foram entregues faltando um ano para a conclusão.

Com a troca para o Consórcio Estação Solar, o prazo passou para novembro de 2021, que também não foi concluído. Ao todo, as empresas entregaram menos de 20% dos serviços previstos.