Litoral: projeto de ciclo-rodovia viabilizado por vaquinha online será apresentado ao governo

Mariana Ohde

Está prevista para esta sexta-feira (23) a apresentação, para representantes do Governo do Paraná, de um projeto de ciclo-rodovia que foi viabilizado por meio de uma vaquinha online.

O projeto é uma alternativa à Faixa de Infraestrutura proposta pelo governo no ano passado para a região de Pontal do Paraná, no Litoral. A Faixa prevê um complexo de rodovias ao longo da PR-412, linhas de transmissão e canal navegável, para tornar viável o acesso e a operação de um porto privado que será construído na região.

Os planos foram criticados por entidades ligadas à defesa do meio ambiente, que tiveram a iniciativa de formular o projeto alternativo. Ele foi elaborado por arquitetos e engenheiros especializados, pagos por recursos conquistados na campanha de financiamento coletivo “O litoral do Paraná pede socorro”, lançada em abril de 2019, pelo movimento #SalveAIlhaDoMel.

“É a primeira proposta de desenvolvimento alternativo para o litoral do Estado apoiada pela sociedade civil, e não imposta por empresários interessados em lucrar às custas da população e do que restou do patrimônio natural em nosso Estado”, diz Giem Guimarães, diretor-executivo do Observatório de Justiça e Conservação (OJC), uma das entidades que integram a campanha #SalveAIlhaDoMel.

A campanha ficou no ar por 60 dias e ultrapassou em quase 7% a meta de arrecadação (R$ 35 mil), totalizando R$ 37.340,00 reunidos no prazo.

A apresentação vai contar com a presença das secretarias de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Planejamento e Infraestrutura e Logística, e de representantes do Ministério Público do Paraná.

CICLO-RODOVIA

A Ciclo-Rodovia Interpraias, como foi chamada, teria mais de 50 quilômetros de ciclovias que interligariam dezenas de municípios, praias e ilhas. Também estão previstas cicloparagens, mirantes turísticos e comércio de produtos locais.

Foto: Divulgação

Segundo os organizadores, o estímulo ao cicloturismo pode tornar o litoral do Paraná referência global no setor, trazendo pessoas de todo o mundo interessadas em pedalar em uma das maiores áreas contínuas de Mata Atlântica ainda preservada. Além disso, outros esportes, como surf, caminhadas, ou atividades náuticas, por exemplo, seriam estimulados.

PR-412

A proposta também prevê melhorias na PR-412 para desafogar o trânsito na via que, na temporada, fica congestionada.

O anteprojeto propõe duplicações de alguns trechos, a construção de ciclovias para viabilizar o trânsito de moradores e turistas que utilizam bicicletas, pontes para travessia de pedestres e rotatórias que facilitariam a dinâmica dos deslocamentos.

“O litoral do Paraná tem um dos maiores potencias para o turismo de natureza do Brasil, mas até hoje não recebeu investimentos honestos e expressivos no setor. A região salvaguarda uma das últimas porções bem conservadas de Mata Atlântica em bom estado de conservação do mundo”, explica Clóvis Borges, diretor-executivo da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS).

O movimento #SalveaIlhadoMel é uma reação à construção da Faixa de Infraestrutura e do porto privado de Pontal do Paraná, que ficaria a poucos quilômetros da Ilha do Mel – que é uma Estação Ecológica e um Patrimônio da Humanidade reconhecido pela UNESCO.

As entidades participantes temem o desmatamento da área de Mata Atlântica da região e dos danos a todo ecossistema. Segundo as entidades, podem ser danificados ou perdidos até 27 milhões de metros quadrados de florestas.

A construção de toda estrutura custaria R$ 369 milhões aos cofres públicos. O litoral do Paraná tem a segunda menor costa do Brasil e já conta com dois portos – de Antonina e Paranaguá.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal