Loja da Havan no Paraná desobedece interdição e é lacrada por prefeitura

Vinicius Cordeiro

havan maringá paraná interdição prefeitura covid-19

Uma loja da Havan em Maringá, na região norte do Paraná, teve as portas lacradas nesta segunda-feira (7) após desobedecer a interdição da prefeitura. A unidade da Avenida Horácio Racanello Filho foi flagrada aberta e atendendo clientes no último sábado (5), descumprindo o decreto que proíbe o funcionamento do comércio na cidade aos finais de semana.

Contudo, a loja da Havan voltou a funcionar na manhã de hoje, o que motivou nova ação da administração municipal. Os fiscais fixaram novo cartaz de interdição, similar ao que foi retirado pelos funcionários anteriormente, e lacraram a porta da loja com cadeado.

De acordo com a prefeitura, o gerente da Havan resistiu ao auto da interdição e questionou a fiscalização. Somente após um advogado ter sido acionado é que o documento foi assinado.

Procurada pelo Paraná Portal, a Havan disse que não vai se manifestar.

PREFEITURA DE MARINGÁ ESTUDA VALOR DA MULTA 

Além da interdição, a prefeitura de Maringá garante que a Havan sofrerá multa pela situação. O valor ainda está sendo definido pela Secretaria da Fazenda conforme análise detalhada dos relatórios dos fiscais.

Contudo, a administração aponta que não é a primeira vez que a loja de departamento desrespeita as medidas de prevenção ao coronavírus. No dia 6 de abril, a Havan foi multada em R$ 38 mil por descumprir o decreto vigente na época.

FUNCIONÁRIOS DA HAVAN FAZEM PROTESTO APÓS INTERDIÇÃO

havan maringá paraná interdição prefeitura covid-19
Funcionários da Havan interditaram avenida de Maringá. (Aldemir de Moraes/PMM)

Depois da Havan ter sido interditada pelos fiscais da prefeitura de Maringá, os funcionários da loja bloquearam a Avenida Horácio Racanello Filho como forma de protesto. Mesmo na chuva, eles levantaram bandeiras contra “lockdown”  A atitude gerou congestionamento na via.

A PM (Polícia Militar) e a Semob (Secretaria de Mobilidade Urbana) foram acionados e conseguiram dispersar os funcionários da Havan para reestabelecer o tráfego dos veículos.

Além da Havan, outras duas lojas de departamento foram autuadas pela prefeitura de Maringá neste final de semana. No total 143 estabelecimentos tiveram vistorias. A administração também recebeu 27 denúncias sobre aglomerações e 53 sobre perturbação do sossego. Um supermercado também é investigado pelo descumprimento das medidas e por vender produtos estragados.

De acordo com boletim desta segunda (7), o Paraná ultrapassou a marca de 300 mil infectados pela covid-19. Maringá acumula 16.145 casos (12.216 recuperados) e 220 mortes.

Previous ArticleNext Article