Luciano Huck compara bairro pobre de Curitiba com Haiti; Greca responde

O apresentador Luciano Huck esteve em Curitiba na última sexta-feira (17) para gravação de um dos quadros de seu program..

Fernando Garcel - 19 de agosto de 2018, 10:50

O apresentador Luciano Huck esteve em Curitiba na última sexta-feira (17) para gravação de um dos quadros de seu programa, o “Lar Doce Lar” - em que reforma a casa de telespectadores. Huck usou as redes sociais para expor a situação na vila 29 de Outubro, no bairro da Caximba, e comparou o local com o Haiti.

"Eu já rodei muito este país. Este lugar aqui, que é o antigo lixão da Caximba, parece o Haiti. Não estou brincando não. Parece Cité Soleil, no Haiti. Por outro lado, as pessoas são tão educadas, com energia boa, com crianças e famílias... Foi muito bom ter vindo aqui", disse o apresentador global no Instagram.

No sábado (18), a situação precária do bairro da periferia curitibana voltou a ser motivo de reflexão de Luciano Huck na mesma rede social.

> Projeto quer liberar exploração de energia solar e eólica no aterro da Caximba

“Inaceitável no Brasil do sec XXI que as pessoas ainda vivam assim. O abismo social que nos assola esta cada vez mais absurdo. A dignidade ali esta nos moradores, comércio, voluntários e ongs locais. E só.

A situação e a pressão das redes sociais fez com que o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), também usasse a internet para se manifestar. No texto, Greca afirma que o apresentador errou e que o local que Huck visitou não está sobre o antigo lixão de Curitiba.

Líder em pesquisas, Greca diz que já 'vomitou ao sentir cheiro de pobre'

Justiça nega pedido de Greca para barrar vídeo em que ele diz ter ‘vomitado com cheiro de pobre’

“A vila que visitou (29 de Outubro) está sobre o vale onde o rio Barigui desagua no rio Iguaçu, numa área aterrada com entulhos de construção civil para invasão e loteamento abusivo. Não é o aterro sanitário da Caximba, área diversa, já selada e sem uso, com certificação ambiental”, disse.

Greca também diz que ligou para o apresentar e pediu que ele doasse material de construção para a área da invasão e que trabalha para requalificar o local.

“Luciano Huck esteve na Caximba, com seu caminhão humanitário. Depois, num post de Instagram errou. Chamou a Caximba de Catimba. Na sequência, postou que a ocupação que visitou é sobre o antigo lixão de Curitiba. Não é. A vila que visitou (29 de Outubro) está sobre o vale onde o rio Barigui desagua no rio Iguaçu, numa área aterrada com entulhos de construção civil para invasão e loteamento abusivo (foto 1). Não é o aterro sanitário da Caximba, área diversa, já selada e sem uso, com certificação ambiental (foto 2). Como lhe disse ao telefone esta ocupação irregular será desmanchada e requalificada em parque ambiental e Bairro Novo humanitário. Inclusive lhe pedi que não doasse material para construção na área de invasão. Estamos trabalhando intensamente para virar este jogo. O lugar já foi muito pior em 2017 quando assumi a Prefeitura. Um trabalho social intenso começa a mudar as coisas. E o IPPUC já apresentou ao BID e à Agência Francesa de Desenvolvimento, amplo programa para requalificar a área. @caldeiraodohuck , pode até parecer Haiti, mas é Curitiba, e aqui não tem vodu. Temos a Luz dos Pinhais, a vontade de servir nossa gente. Vamos provar que tendência não é destino, e que Curitiba não é #cidadepartida. Aqui tem prefeito urbanista e empenhado e os curitibanos temos orgulho de nossa Cidade. #CuritibaÉumaSó Quem quer ajudar é bem vindo!”, diz o texto na íntegra.