Pesquisadores usam luzes de LED para evitar ataques de onças a rebanhos

Leonardo Gomes - BandNews FM Curitiba

Foto: divulgação/Cataratas Do Iguaçu

Com o objetivo de evitar ataques de onças-pintadas a rebanhos que vivem em propriedades próximas do Parque Nacional do Iguaçu, na região oeste do Paraná, pesquisadores estão usando luzes de LED para alertar os animais.

Segundo a coordenadora do projeto Onças do Iguaçu – responsável pela iniciativa – Yara Barros, a ideia é preservar as onças-pintadas e evitar o prejuízo de trabalhadores rurais na região. Ela explica que o sistema simula a movimentação constante de pessoas, o que afasta os animais.

“Até o momento temos somente dois sistemas em funcionamento, mas na primeira propriedade onde instalamos sabemos que há pumas por perto e mesmo assim não houveram mais ataques”, explica.

As luzes acendem automaticamente com o cair da noite. A técnica é inspirada em uma já desenvolvida com leões em um parque do Quênia, na África. A elaboração e aplicação das luzes são feitas em parceria com pesquisadores da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

A coordenadora ainda conta que o trabalho precisa ser feito de maneira integrada para que os animais sejam protegidos.

“Não adianta só instalar o sistema de luzes se o proprietário não fizer o manejo adequado. Estamos instalando outros tipos de luzes, cerca elétrica e neste fim de semana faremos um mutirão para remover carcaças que possam atrair os animais”, diz.

DESCARTE DE CARCAÇAS ATRAI ONÇAS

O descarte incorreto de carcaças de gado tem atraído a vinda dos animais para as propriedades, conforme monitoramento do projeto Onças do Iguaçu.

Segundo o gestor ambiental Thiago Reginato o correto é enterrar o rebanho que morreu.

“O adequado é escolher um local em cima de um morro, longe do curso da água, fazer um buraco e enterrar. Quando são animais maiores, as prefeituras podem auxiliar, mandando uma máquina que ajude a cavar”, relata.

A onça-pintada é uma das espécies com maior ameaça de extinção nas regiões de Mata Atlântica. Entretanto, a população dos animais vem crescendo no Parque Nacional do Iguaçu.

De acordo com o último censo feito por pesquisadores brasileiros e argentinos, em 2018, 105 onças-pintadas viviam na região de fronteira entre o Brasil e a Argentina. O número é 16% maior do que na comparação com 2016.

Previous ArticleNext Article