Mãe foge com recém-nascida de hospital em Guaratuba

Narley Resende


Uma mulher que havia acabado de dar à luz uma menina fugiu correndo das dependências do Hospital Municipal de Guaratuba, litoral do Paraná, na tarde desta segunda-feira (18).

De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, o Núcleo de Proteção ao Paciente foi acionado e perseguiu a mulher pelas ruas centrais da cidade, próximo à entrada para o morro do Ferryboat. A mãe foi abordada em uma praça e retornou ao hospital junto com a criança para tratamento pós-parto.

Inicialmente, comerciantes e moradores pensaram que a mulher havia sequestrado um bebê de outra mãe no hospital. Rapidamente a informação correu por grupos de Whatsapp, mas foi logo desmentida.

“Eu estava tirando as coisas do depósito do restaurante e me chamou atenção essa mulher passar correndo com um criancinha. Parecia uma boneca, com a perninha chacoalhando, bem pequenininhas. Em seguida veio correndo uma funcionária do hospital, ela parou e falei para ela que a mulher tinha corrido para a direita. Quando ela falou que a mulher tinha fugido com o bebê eu corri junto. Quando cheguei o pessoal da Secretaria já estava voltando com ela. Ela estava chorando muito, mas a bebê estava bem”, conta André Maia, que é administrador do Restaurante do Dado e testemunhou o ocorrido.

André relata que ficou impressionado com a cena. “Ela estava correndo muito, em uma velocidade muito grande”, conta.

Por sigilo médico, a identidade e mais informações sobre a paciente não foram repassadas pelo hospital. Veja a nota da Secretaria Municipal da Saúde:

“A Secretaria Municipal de Saúde informa, que no período da tarde desta segunda-feira (18/12/17), paciente pós parto, tentou evasão do Hospital com a criança recém nascida. Imediatamente a Equipe do Hospital Municipal acionou o Núcleo de Proteção ao Paciente, que providenciou a devida abordagem da mãe, durante o percurso em que tentou a evasão, retornando ao Hospital para continuação do tratamento da mãe e da criança. Esta abordagem envolve diversas questões para que a mãe compreenda a necessidade de tratamento da criança sob sua responsabilidade. Estes momentos são bastante delicados para as mães, sendo que o núcleo de proteção age de forma a convencer a paciente dos procedimentos, sem porém, proceder de forma mais rigorosa caso a situação requeira. A mãe tentou evasão, foi acompanhada pela equipe por um pequeno percurso, até se convencer a retornar ao Hospital. Também foi solicitada a presença de órgãos de segurança, caso a metodologia da equipe não tivesse resultados junto a paciente. A paciente e o filho encontram-se hospitalizados e com o tratamento em continuidade.”

Previous ArticleNext Article