Mais de três toneladas de lixo foram retiradas dos manguezais neste ano

Kelly Frizo - BandNews FM Curitiba


Trabalho realizado pela comunidade portuária, entre janeiro e setembro de 2018, resultou na coleta de 3,7 toneladas de resíduos dos manguezais do litoral do Estado. O volume é 560% maior do que o total coletado em 2017 e é resultado da intensificação dos mutirões de limpeza.

Desde 2016, quando a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA) deu início ao programa de Monitoramento de Manguezais e passou a realizar mutirões bimestrais para limpeza das áreas, foram 4,9 toneladas de lixo retirados do meio ambiente.

Regularmente são feitas limpezas nos mangues localizados nos bairros Rocio e Oceania, além da Ponta da Pita, em Antonina. Em 2018, porém, mutirões especiais foram feitos em comunidades ilhadas e às margens do Rio Itiberê, localizado na cidade de Paranaguá.

O diretor de Meio Ambiente da APPA, Bruno Guimarães, explicou que a quantidade de lixo coletado indica que ainda é preciso conscientizar mais pessoas para a proteção dos mangues. “Quando a gente fala esses números todos, isso também nos traz uma preocupação muito grande porque tem mais gente descartando resíduos de forma errada e esses resíduos estão indo para essas áreas”, disse.

Ao todo, são monitoradas 564 árvores das espécies mangue-vermelho, mangue-negro e mangue-branco.

Os técnicos acompanham dados como crescimento e diâmetro, avaliam impactos naturais – como a ação das correntes marítimas –, e possíveis impactos decorrentes da ação humana. Segundo Bruno Guimarães, os mangues tem grande importância para o meio ambiente. “Eles são importantes para vida marinha em um todo, são berçários para várias espécies. Além de servir como uma barreira natural contra erosão”, explicou.

A APPA acompanha o estado de conservação dos bosques de mangue em cinco áreas representativas no entorno do Complexo Estuarino de Paranaguá: Rocio, Oceania, Amparo, Ilha do Mel e manguezais no entorno do Porto de Antonina.

As análises são trimestrais e usam equipamentos e registros fotográficos para acompanhar o crescimento ou a estabilidade da vegetação.

Outra ação analisa a erosão (saída de sedimentos) ou sedimentação (chegada) nos manguezais. Os processos acontecem naturalmente no ambiente, mas podem ser intensificados pela interação humana.

Por isso, a APPA realiza visitas a cada quatro meses, no mínimo, em mangues e praias de ilhas e comunidades de Paranaguá e Antonina.

 

Previous ArticleNext Article