Mais Médicos ainda tem mais de 1.400 vagas abertas após duas rodadas de seleção

Folhapress

Cerca de dois meses após o anúncio da saída dos médicos cubanos do Mais Médicos e após duas rodadas de seleção de profissionais, ao menos 1.462 vagas no programa federal ainda não foram preenchidas.

Os dados são de novo balanço do Ministério da Saúde, divulgado no início da tarde desta sexta-feira (11). Segundo a pasta, de 8.517 vagas ofertadas após o anúncio da saída dos médicos cubanos do programa, 17% ainda não tiveram médicos interessados ou foram alvo de desistências.

O fim da participação de Cuba no Mais Médicos ocorreu em 14 de novembro. A decisão foi atribuída a críticas do então presidente eleito, Jair Bolsonaro, sobre a qualidade de formação dos médicos estrangeiros e a ausência da exigência de revalidação do diploma para atuarem no Brasil.

Desde então, o governo tem enfrentado dificuldades para preencher as vagas abertas com a saída dos profissionais, situação que já levou o governo a lançar ao menos duas rodadas de seleção para o programa.


A segunda chamada foi iniciada em dezembro com vagas remanescentes do primeiro edital. Das 2.549 vagas ofertadas, porém, apenas 1.707 vagas foram preenchidas. Outras 842 não tiveram interessados.

Para complicar, o edital foi alvo de novas desistências. De acordo com o ministério, do total de inscritos na segunda chamada, apenas 63% se apresentaram aos municípios para iniciar as atividades.

O prazo para que essa apresentação ocorresse terminou nesta quinta-feira (10). Com isso, o programa soma agora 1.462 vagas ainda abertas.

TERCEIRA RODADA

Sem conseguir preencher todas as vagas, o governo deve lançar uma terceira rodada de seleção, desta vez voltada a brasileiros formados no exterior que já enviaram documentos para inscrição.

A abertura do sistema para escolha das vagas deve ocorrer entre 23 e 24 de janeiro. Caso os postos não sejam preenchidos, nova chamada deve ser disponibilizada nos dias 30 e 31 de janeiro.

O programa também tem sofrido outros impasses. Conforme a Folha mostrou nesta quarta-feira (9), médicos que passaram a fazer parte do Mais Médicos em dezembro, após a saída dos cubanos, estão sofrendo atrasos no pagamento da bolsa no programa.

A previsão era que o pagamento ocorresse ainda na primeira semana de janeiro de forma proporcional aos dias trabalhados -isso porque alguns iniciaram as atividades ainda na primeira semana de dezembro, enquanto outros se apresentaram na semana seguinte.

Até agora, porém, o valor ainda não foi repassado. Pelas regras do Mais Médicos, cada profissional deve receber uma bolsa no valor de R$ 11.800, além de auxílio-moradia.

O problema atinge cerca de 5.036 médicos que entraram no programa após a saída dos médicos cubanos, de acordo com o Ministério da Saúde. Questionada, a pasta atribui o problema a falhas no cadastro dos profissionais e diz que os pagamentos devem ser regularizados até o fim deste mês.

Cronograma das próximas etapas do Mais Médicos:
14/01 – Publicação da lista dos médicos com registro médico no Brasil que iniciaram as atividades
22/01 – Publicação da validação dos documentos dos brasileiros formados no exterior
23/01 a 24/01 – Brasileiros formados no exterior escolhem vagas
29/01 – Publicação da validação dos documentos dos estrangeiros formados no exterior
30/01 a 31/01 – Estrangeiros formados no exterior escolhem vagas

Post anteriorPróximo post