Marcha da Família em Curitiba pede liberação de igrejas e recebe apoio de Bolsonaro

Redação


Convocada por religiosos e líderes conservadores, a Marcha da Família Cristã reuniu centenas de manifestantes em Curitiba, neste domingo (11). A manifestação recebeu o apoio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O protesto pedia a liberação de missas e cultos presenciais. Os eventos nunca foram proibidos no Paraná, embora a Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) tenha limitado a ocupação em 15% para coibir aglomerações.

Com críticas ao STF (Supremo Tribunal Federal), que autorizou que estados e municípios vetassem cultos e missas durante a pandemia, faixas e cartazes faziam ode à “liberdade”, pedindo a abertura imediata dos templos e do comércio.

Os manifestantes também pediam o “fim do comunismo”, estabelecendo uma falsa relação entre o movimento político que suprime a propriedade privada e as medidas de restrição para combater o avanço da Covid-19.

Em meio ao pior momento da pandemia do coronavírus, muitos participantes não usavam máscara, ou portavam o equipamento de proteção de maneira inadequada, sem cobrir o nariz e a boca.

marcha da família, família cristã, igrejas, stf, bolsonaro, jair bolsonaro, manifestação, protesto, curitiba, berrante
Muitos manifestantes sem máscara foram às ruas pedir a abertura de igrejas e do comércio. (Foto: Eduardo Matysiak/Futura Press/Folhapress)

MARCHA DA FAMÍLIA RECEBE APOIO DE BOLSONARO

A Marcha da Família Cristã em Curitiba, neste domingo (11), foi convocada por líderes religiosos e políticos. O protesto se concentrou na Praça Nossa Senhora de Selete, no Centro Cívico. A região comporta os principais prédios públicos do Paraná, como a Assembleia Legislativa, o Tribunal de Justiça e as sedes do Poder Executivo estadual e municipal.

Enquanto a Bandeira Vermelha estava em vigor, um mandado de segurança impetrado pela Prefeitura de Curitiba proibia manifestações na capital sob pena de multa de R$ 100 mil. No entanto, no início da semana, a Secretaria Municipal da Saúde revogou o decreto e recuou para a Bandeira Laranja, menos restritiva.

No decorrer da Marcha da Família, sobre um caminhão de som, um dos organizadores transmitiu uma mensagem do presidente Jair Bolsonaro, que endossou a pauta da manifestação e criticou adversários políticos.

“Essas manifestações são democráticas e bem-vindas”, dizia trecho da mensagem.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="756865" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]