Maria Paraguaia, acusada de intermediar adoção ilegal em Cascavel, é denunciada pelo MPF

Jordana Martinez


O Ministério Público Federal (MPF) apresentou denúncia contra Maria Conceição Queiroz, conhecida como Maria Paraguaia. Ela está presa desde outubro do ano passado, na Cadeia Pública de Corbélia, acusada de intermediar a adoção ilegal de um menino paraguaio, encontrado na rua, em Cascavel, no oeste do Estado.

A ação segue em segredo de justiça. A Justiça Federal deve decidir se recebe ou não a denúncia, que foi protocolada na segunda-feira (19), pela procuradora Andressa Caroline Zanette. As investigações sobre o caso começaram quando Maria Conceição afirmou ao Conselho Tutelar que havia encontrado a criança, de 1 ano, abandonada em frente à casa onde morava.

Segundo o Núcleo de Proteção de Crianças e Adolescentes Vítimas de Crimes (Nucria), a suspeita receberia setecentos reais pela adoção do menino. No entanto, o casal que iria adotar a criança desistiu do trâmite, depois de não conseguir a documentação necessária. Maria Paraguaia foi presa no dia em que a polícia encontrou na casa dela uma adolescente de 17 anos e uma menina de 10.

A mulher chegou a dizer que o menino encontrado na frente da casa dela é filho de uma sobrinha. Em janeiro deste ano, a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na casa de Maria Paraguaia para tentar descobrir se ela está envolvida no tráfico de outras crianças.

Outros dois mandados foram cumpridos na casa do casal que estaria interessado em adotar o menino e na de outro investigado. O conteúdo do material apreendido não foi divulgado. A rádio BandNewsCuritiba está tentando contato com o advogado de defesa de Maria Conceição, Felipe Veloso, mas, até o momento, não teve as ligações atendidas.

Previous ArticleNext Article
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.