Noroeste do Paraná sofre com saturação do sistema de Saúde, diz prefeito de Maringá

Vinicius Cordeiro

maringá paraná coronavírus decreto maringá

Ulisses Maia, prefeito de Maringá, afirmou que toda a macrorregião noroeste do Paraná, que engloba cidades como Campo Mourão, Cianorte, Umuarama e Paranavaí, sofre com a saturação do sistema de Saúde devido ao avanço do coronavírus. Em vídeo divulgado ontem (27), ele faz um apelo para que a população evite sair de casa.

“Fizemos uma importante reunião com os donos dos hospitais particulares, dos hospitais públicos e dos planos de saúde. A constatação, infelizmente, é da saturação do sistema. Estamos com um problema sério de faltar leitos de UTI e leitos de enfermaria em toda a rede. Isso é em toda a macrorregião noroeste”, disse Ulisses Maia.

Segundo o prefeito de Maringá, essa onda da covid-19 veio muito rápida e está crescendo de ‘forma assustadora’, o que pode dificultar na assistência de qualquer pessoa.

“Precisamos contar com a colaboração das pessoas. Reunimos as principais lideranças da cidade, nosso arcebispo, as associações, sindicatos, indústria. Todos estão conscientizados que é preciso restringir a circulação de pessoas, que as pessoas fiquem em casa”, completou Ulisses Maia, reeleito no último dia 15.

COVID-19 EM MARINGÁ

Maringá está sob decreto 1817/2020, publicado na última quarta-feira (27). Entre as medidas restritivas estão o fechamento de parques, limitação do funcionamento de bares e restaurantes e toque de recolher das 23h às 5h. Conforme o último boletim do coronavírus, Maringá totaliza 14.628 casos confirmados (11.528 recuperados), 204 mortes e 153 pessoas internadas (com confirmação da covid).

MACRORREGIÃO NOROESTE TEM DADOS ALARMANTES NO BOLETIM DA SESA

O boletim da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) aponta que o Paraná chegou a 270.349 casos confirmados e 6.023 mortes pelo novo coronavírus. Com isso, o estado é o décimo a alcançar a marca de mais de seis mil vítimas.

Contudo, o informe ainda ilustra outros pontos alarmantes. Maringá tem o quarto pior coeficiente de incidência (casos a cada 100 mil habitantes) da covid-19, ficando atrás de Foz do Iguaçu, Paranaguá e Telêmaco Borba.

Além disso, a macrorregião noroeste está com a segunda maior taxa de ocupação de UTIs exclusivas covid-19 da rede pública, com 83% dos leitos ocupados. Apenas a macrorregião leste, que engloba Curitiba e região, está acima, com 89% na taxa de ocupação.

Para ver o mapa das macrorregiões do Paraná, clique aqui. Já para conferir o boletim completo do coronavírus no Paraná (do dia 27/11), clique aqui.

Previous ArticleNext Article