Polícia prende suspeito de matar esposa na frente da filha de 3 anos

Andreza Rossini


A polícia civil prendeu Erick Tardim Oliveira, de 33 anos, suspeito de matar a facadas a esposa Ana Cristina Borges, de 39 anos, na frente da filha, de apenas três anos de idade.

A prisão foi feita por policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Curitiba, na noite de quarta-feira (6).

O homem foi encontrado por volta das 23h30, perambulando no estacionamento de um supermercado no centro da capital, nas proximidades da Praça Osório. O suspeito não esboçou reação no momento da prisão e confessou o crime à polícia.

O crime ocorreu na madrugada da última terça-feira (05), na casa do casal, no bairro Cajuru. Segundo investigações, o homem teria assassinado Ana Cristina com uma faca de cozinha, efetuando um golpe no pescoço da vítima na frente da filha do casal de 3 anos. Depois do crime, o suspeito trocou de roupa e fugiu. A criança passou horas ao lado do corpo da mãe.

“A criança contou que viu o papai batendo na cabeça da mamãe e fugiu”, afirmou o delegado-titular da DHPP, Fabio Amaro. “Também está sendo investigado o sumiço do 13º da vítima após o crime”, complementou.

A menina foi encaminhada para o Conselho Tutelar. Segundo a polícia, o homem é usuário de drogas.

As investigações iniciaram assim que o corpo da vítima foi encontrado na casa. “No local localizamos a faca utilizada para a prática do crime. As digitais encontradas na arma branca coincidem com a do suspeito”, conta o delegado.

A equipe policial da DHPP, com apoio da Polícia Militar, chegou até o investigado depois que recebeu denúncias anônimas sobre a sua localização. Na delegacia o homem confessou o crime à polícia e disse que não lembrava exatamente como teria ocorrido os fatos, por estar sob efeito alcoólico.

O homem disse ainda que matou a vítima por ciúmes. As roupas usadas pelo suspeito no dia do crime também foram apreendidas. O casal possuía uma união estável há cerca de cinco anos. “Ela chegava mais tarde do que o normal em casa”, afirmou o suspeito em depoimento a polícia civil. “Eu saí de casa para beber e quando voltei, pedi um cigarro para ela, que não quis me dar. Briguei de novo e sai novamente. Cheguei, ela estava dormindo e acredito que eu esfaqueei ela, parece que foi um golpe só”, contou.

O suspeito responderá pelo crime de feminicídio. Caso seja condenado pode ser condenado em até 30 anos de prisão.

Previous ArticleNext Article