Médica paranaense, que desapareceu no Rio Grande do Sul, é resgatada após cinco dias

Redação


A médica paranaense Tamires Gemelli da Silva Mignoni, que desapareceu na última sexta-feira (16), em Erechim, foi resgatada na noite desta quarta-feira (22) em Cantagalo, na região central do Paraná.

Na ação, que foi liderada por uma equipe do Tigre (Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial), três pessoas foram presas. Tamires Mignoni é filha de Berto Silva, prefeito de Laranjeiras do Sul, na região central do Paraná.

“Valeram as orações. A Tamires acaba de ser libertada pelos grupos DEIC e TIGRE. Nossa menina está voltando pra casa”, disse Silva em uma rede social. Até o fechamento da matéria, a polícia não tinha repassado mais detalhes sobre o resgate da médica paranaense.

MÉDICA PARANAENSE DESAPARECE EM ERECHIM

médica paranaense desapareceu por volta das 11h, quando deixava uma UBS (Unidade Básica de Saúde), que fica no bairro Aldo Airolli, em Erechim. Tamires Mignoni seguia para o seu carro, um Equinox, quando foi sequestrada. Horas depois do crime, foi abandonado próximo a uma fábrica, no bairro Cristal.

Dentro do automóvel, estavam as bolsas e documentos da médica. A suspeita é que os sequestradores tenham trocado Tamires de carro e, em seguida, abandonando o automóvel da paranaense.

O caso foi investigado em conjunto pelas polícias do Paraná e do Rio Grande do Sul, que se integraram na busca por informações.

Médica paranaense, que desapareceu no Rio Grande do Sul, é resgatada após cinco dias (Reprodução/Facebook)

SEQUESTRADORES ERAM MORADORES DE LARANJEIRAS DO SUL

Os três sequestradores de Tamires Mignoni eram moradores de Laranjeiras do Sul, cidade em que o pai da vítima é prefeito, de acordo com informações passadas pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul.

Um dos presos é vigilante de um banco do município, local que estava afastado por conta de um atestado médico desde a última sexta-feira (16), data de início do sequestro. Além dele, uma mulher e um taxista, que foi responsável pelo deslocamento da vítima, também foram presos.

Por isso a polícia acredita que o crime foi planejado. O itinerário feito pelos sequestradores foi:

  • Erechim;
  • Itá;
  • Chapecó;
  • Cantagalo (que fica a 60 quilômetros de Laranjeiras do Sul);

As investigações do sequestro da médica paranaense começaram depois do primeiro contato dos criminosos, que pediram R$ 2 milhões pelo resgate. Depois disso, o trio realizou mais dois contatos com o pai da vítima.

Tamires Mignoni disse para à polícia que não sofreu agressões e nenhum tipo de violência durante o tempo em que esteve nas mãos dos sequestradores.

LEIA MAIS: Candidato a vereador é preso suspeito de atropelar secretário municipal de Antonina

Previous ArticleNext Article