Médico morre após corda atingir seu rosto em passeio de lancha no PR

Fernando Garcel


Um homem, de 43 anos, morreu na noite de sábado (2) após ser atingido por uma corda estendida enquanto passeava de lancha no Rio Paraná, em Porto Rico, a cerca de 170 quilômetros de Maringá, no Norte do Paraná. Waldomiro Esperidião Júnior era médico anestesista, atuava na Santa Casa de Paranavaí, e teve um grave traumatismo cranioencefálico (TCE).

Corda que prendia embarcação na margem do rio causou a morte da vítima

Segundo testemunhas, o médico estava com familiares na lancha quando tentaram passar entre uma embarcação e a margem do rio, mas havia uma corda estendida na diagonal. As crianças que estavam na embarcação saíram ilesas, mas o médico foi atingido na região da boca.

Waldomiro chegou a ser atendido por equipes dos Guarda-Vidas Civis e encaminhado para o Hospital Nossa Senhora dos Navegantes mas sofreu uma parada cardiorrespiratória e morreu.

Em nota, a Santa Casa de Paranavaí lamentou a morte do médico e destacou o perfil do médico.

“A direção, corpo clínico e funcionários da Santa Casa de Paranavaí receberam,com profundo pesar, a notícia do falecimento do médico anestesista Waldomiro Esperidião Júnior, em um trágico acidente no Rio Paraná, em Porto Rico, no começo da noite de ontem (sábado). Há mais de dez anos ele prestava serviços ao hospital. Era casado com a médica dermatologista Mônica Cohen Esperidião, também do corpo clínico da Santa Casa. Deixa dois filhos, Gabrieli, 11 anos, e Miguel, 5 anos. Profissional comprometido com a medicina e filho de tradicional família paranavaiense, o jovem médico deixa uma grande lacuna entre inúmeros amigos e especialmente entre sua categoria, onde era muito querido e prestativo”, diz a nota.

Previous ArticleNext Article