Monkeypox: Paraná confirma 1° caso em Maringá e mais 14 em Curitiba

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou nesta quarta-feira (3) o primeiro caso de monkeypox (varíola dos macacos) fora da capital

Redação - 03 de agosto de 2022, 18:18

Arquivo/CDC/Brian W.J. Mahy
Arquivo/CDC/Brian W.J. Mahy

O Paraná confirmou nesta quarta-feira (3) mais 15 casos de varíola dos macacos, doença causada pelo vírus monkeypox. O boletim foi atualizado pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), que passará a informar os dados semanalmente.

Segundo a pasta, são 14 novos registros em Curitiba e um caso em Maringá. O diagnóstico no município da região norte do Paraná foi o primeiro registrado no estado fora da capital.

Com os dados atualizados, o Paraná agora acumula 36 casos de monkeypox, dos quais 35 são referentes a pacientes que moram em Curitiba.

Entre os infectados, são 34 homens e duas mulheres. Todos os pacientes têm entre 20 e 49 anos. São 15 casos na faixa-etária entre 20 e 29 anos; 17 com idade entre 30 e 39 anos; e 4 casos entre a população com 40-49 anos.

Além dos casos confirmados, a Secretaria Estadual da Saúde investiga outros 42 casos suspeitos, dos quais 20 são de pacientes de Curitiba.

Outras cidades com mais de um caso em investigação são Foz do Iguaçu (3), Maringá (2), Cascavel (2), Ponta Grossa (2) e Araucária (2).

Além dos 36 casos confirmados, a Sesa investiga 42 casos suspeitos de varíola dos macados, doença causada pelo vírus monkeypox. (Reprodução/Sesa)

MONKEYPOX: VARÍOLA DOS MACADOS

Segundo a Sesa, a monkeypox - ou "varíola dos macacos" como é popularmente conhecida - é uma doença viral. A transmissão entre humanos ocorre principalmente por meio de contato com lesões de pele de pessoas infectadas ou objetos recentemente contaminados.

A infecção causa erupções que geralmente se desenvolvem pelo rosto e depois se espalham para outras partes do corpo. Os principais sintomas envolvem febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, linfadenopatia, calafrios e fadiga.