Morador de Morretes internado com febre amarela morre em hospital

William Bittar - CBN Curitiba

Um homem, de 64 anos, morador de Morretes, no Litoral do Paraná, que contraiu a doença da febre amarela, morreu em um hospital de Curitiba, nesta quarta-feira (6). Se confirmar a causa da morte, esse será o primeiro óbito por conta do vírus no estado, em 2019. O paciente era o primeiro caso da doença em humanos no município. A causa-morte do paciente será divulgada nesta quinta-feira (7), no boletim da febre amarela da Secretaria de Saúde do Paraná.

A confirmação do caso em humano na cidade acontece poucos dias depois que a Secretaria de Saúde de Morretes registrou a morte de um macaco por febre amarela. O homem morava na região do Candonga, cerca de 30 quilômetros de distância de onde o macaco foi encontrado, em São João da Graciosa.

Ao todo, seis casos de febre amarela foram confirmados no Paraná, em 2019, um em Curitiba, dois em Adrianópolis, na Região Metropolitana, um em Campina Grande do Sul, também na região metropolitana, um em Morretes, no Litoral, e um em Antonina, também no Litoral.


O estado também já teve 168 notificações suspeitas de janeiro até agora, dentre as quais 48 ainda estão em investigação.

A vacinação contra a febre amarela é indicada para quem tem de 9 meses a 59 anos de idade. A dose é única e quem já tomou uma vez na vida, não precisa tomar uma segunda dose.

Se a pessoa não lembra se já foi imunizada ou não tem a carteira de vacinação, o recomendado é procurar uma unidade básica de saúde para receber a dose.

Pessoas acima de 60 anos, gestantes e mães que estão amamentando bebês menores de seis meses precisam de prescrição médica para tomar a vacina.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook