Morre cadela Rebeca, que teve a boca desfigurada por explosão de rojão no PR

Redação

cadela rebeca rojão curitiba

A cadela Rebeca, resgatada após um rojão ter explodido na boca durante a madrugada do 1° dia de 2021, morreu por uma parada respiratória. A informação foi divulgada na noite desta segunda-feira (11) pela ONG Força Animal, que estava cuidando da recuperação do animal encontrado em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba.

O rojão causou uma série de ferimentos: o animal teve grande parte da língua dilacerada, perdeu todos os dentes, teve a mandíbula fraturada e precisou de transfusão de sangue. O trabalho de recuperação necessitou de diversos antibióticos, mas ela não resistiu mesmo após 10 dias de cuidados devido a uma infecção.

“Ontem perdermos nossa Rebeca. O tempo dela ao nosso lado foi efêmero demais. Fizemos tudo que estava ao nosso alcance. A violência da bomba foi tão imensa que ela sofreu traumas irreversíveis teve uma parada respiratória, decorrente da grave infecção que estávamos tratando”, publicou a ONG responsável pelo tratamento da cadela Rebeca.

Em homenagem, o grupo ainda fez um vídeo para eternizar a cadela. Assista:

A presidente da ONG Força Animal, Danielly Savi, lamentou muito a morte da cadela. Em vídeo publicado no Facebook, ela se mostrou despedaçada com a perda após o trabalho, carinho e atenção destinados a Rebeca.

“Ela estava com uma infecção bem grave, tomando vários antibióticos. Eu sei que todos vocês estavam torcendo, mas infelizmente a gente perdeu. Eu não tenho mais o que falar, não consigo também. Quero agradecer a vocês, todas as pessoas que participaram de alguma maneira desse resgate. Ela estava com uma infecção bem grave, tomando vários antibióticos. Quem sabe em uma próxima, a gente ganhe”, completou.

POLÍCIA IDENTIFICOU O HOMEM RESPONSÁVEL PELO ROJÃO QUE ATINGIU CADELA

Rebeca durante o período de tratamento. (Divulgação/ONG Força Animal)

O suspeito de jogar o rojão no chão foi identificado após denúncias e prestou depoimento na DPMA (Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente) na semana passada. Para o delegado Matheus Laiola, ele afirmou ter problemas mentais e apresentou laudos que comprovam a alegação.

Ele ainda disse que jogou o rojão no chão e a cachorra se aproximou, pegando a objetivo e colocando na boca. Quando viu a bomba explodir na boca do animal, entrou em pânico. O delegado conversou com algumas testemunhas que não confirmaram a possibilidade dele ter amarrado o rojão na boca da cadela. Portanto, a polícia passou a ver o acidente como fatalidade, sem pedido de prisão, e usar o caso como alerta sobre o uso da queima de fogos de artifício.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="738705" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]