Morretes terá sistema de mobilidade urbana para atender turistas

Confira as obras de mobilidade urbana, como a revitalização da orla, e projetos desenhados para serem desenvolvidos em Morretes, no litoral do Paraná.

Pedro Ribeiro - 27 de janeiro de 2022, 17:13

(Divulgação)
(Divulgação)

Da comunidade Esperança – Estrada da Graciosa, proximidade do São João - para a Prefeitura de Morretes, foi um pulo. Brindarolli Junior, Jeitão simples, advogado, iniciou a carreira política tipo aquele cidadão que apostou no azarão e deu certo. 

Pelos braços do polêmico jornalista Orley Antunes, se filiou em um partido minúsculo e acabou obtendo mais de 320 votos elegendo-se, pela primeira vez, vereador de Morretes. Quatro anos depois assumia a Prefeitura Municipal.

No Pátio Morretes, espaço gastronômico do Centro Histórico de Morretes, conversei com Brindarolli que tinha, ao seu lado, três assessores de linha de frente da Prefeitura, sobre seu projeto futuro como político e a prioridade para o município.

Disparou um rosário de projetos que mostram crescimento e desenvolvimento da cidade que se transformou em potencial turístico no Estado. Com conhecimento sobre a demanda da população, Brindarolli Junior foi pontuando cada um desses projetos e mostrando empolgação.

SAÚDE, A PRIORIDADE DA ATUAL GESTÃO

Sua maior preocupação, no momento, é com a área da Saúde, onde investiu, de um orçamento extra de R$ 9 milhões, R$ 300 mil em equipamentos de última geração na área da Tecnologia da Informação para dotar todos os postos de saúde do município com computadores para agilizar consultas e encaminhamento para procedimentos médicos, principalmente nestes tempos pandêmicos com o coronavírus e avanço da dengue.

Olhos fixos no telefone móvel, procurando projetos para apresentar, Brindarolli se mexeu da cadeira quando perguntamos para ele se havia, entre estas dezenas de projetos, um de mobilidade urbana, porque a cidade vira um caos nos finais de semana, com aumento do fluxo de veículos e ônibus de turismo no entorno do centro da cidade. Ou, é um risco fazer campanhas para que o turista visite a cidade, se não tiver um sistema viário para atender a demanda. 

Não é apenas a falta de mobilidade urbana que traz consequências danosas como engarrafamento de veículos da ponte do Porto de Cima e na própria reta do Porto, além do centro da cidade. Morretes precisa rever a área de urbanismo, sinalização de ruas e placas de orientação para turistas. O poder público tem a obrigação de orientar os turistas para que eles fiquem confortáveis na cidade e conheça todos as opções de lazer, gastronomia e hotelaria (pousadas).

MOBILIDADE URBANA E REVITALIZAÇÃO DA ORLA

Brindarolli diz que vai fazer uma consulta à população para ver o que é melhor para a cidade e seus visitantes. Como não pode disponibilizar o Pátio da Prefeitura como estacionamento porque o imóvel não é da prefeitura e ainda, por consequência, passa um rio embaixo do complexo, está estudando uma grande área, que é da prefeitura, localizada cerca de 1 km do centro. Fica na Vila das Palmeiras, na entrada Sul da cidade. Também estuda outra opção em uma área no bairro do Rocio, próximo à Estação de trem. 

Sobre o terreno da Prefeitura Municipal, na Vila das Palmeira, o prefeito mais uma vez mostra um belíssimo projeto que contempla, desde o trilho de trem até a rotatória de entrada do centro da cidade, uma nova ciclovia, calçadão para pedestre fazer caminhada e paisagismo.

O prefeito também adiantou que já possui recursos e fará licitação para revitalização da Orla do Nhundiaquara, ponto de encontro de turistas e das famílias morretenses, com novo paisagismo, novas floreiras e lixeiras, reparação do calçamento, além de iluminação mais moderna que auxilie a Polícia Militar que já instalou nas imediações câmaras para monitorar as pessoas. Hoje Morretes possui 32 câmaras de observação interligadas com Polícia Militar e Civil.

A Prefeitura também vai recuperar os seis quilômetros de ciclovias na Reta do Porto. Com isso, os usuários de bicicletas poderão sair da Vila das Palmeiras até a Vila do Porto de Cima numa extensão de aproximadamente oito quilômetros.

Com recursos do Governo do Estado, a Prefeitura de Morretes deverá iniciar ainda neste primeiro semestre, asfaltamento da estrada das Américas, numa extensão de sete quilômetros. Esta estrada será feita de concreto devido aos rios e riachos que a margeiam. Também fará reforma da “ponte molhada” localizada na chamada Fortaleza, mais um ponto de visitação turística.

RESTAURAÇÃO DO HISTÓRICO CLUBE SETE

Além de comprar novos equipamentos – máquinas e implementos -  para ampliar o parque de infraestrutura urbana e rural, Brindarolli disse que Morretes tem pouco mais de 600 quilômetros de estradas rurais que precisam constantemente de manutenção porque, como a cidade está literalmente sitiada pela Mata Atlântica e Montanhas, as precipitações pluviométricas são quase que diárias.

Entre todos os projetos que tem em mãos, os que estão sendo desenhados, tem um que ele também considera importante para a cidade e gostaria de ter ajuda externa, ou seja, de entidades ou instituições empresariais: a restauração do Clube Sete, um histórico prédio localizado no coração da cidade e que precisa ser recuperador, pois há risco de ruir. Lamentável, pontuou. 

Participaram da entrevista o Secretário de Governo, Gilton Dias Junior, a Procuradora Geral, Mariana Pedroso e a chefe de Gabinete, Mirielen da Cunha.