Morte de Tatiane Spitzner repercute na imprensa internacional

Lorena Pelanda


A comoção da morte da advogada paranaense Tatiane Spitzner repercute também internacionalmente.

Nesta terça-feira (07), o jornal The New York Times, um dos principais dos Estados Unidos, dedicou uma matéria exclusiva para tratar do assunto.

A reportagem relata sobre os últimos momentos de Tatiane e as agressões que ela sofreu pelo marido Luis Felipe Manvailer, que está preso desde o dia 22 de julho, dia da morte de Tatiane.

A publicação também retrata sobre o debate nacional desencadeado sobre o abuso doméstico no Brasil, onde quase um terço das mulheres dizem ter sofrido violência. De acordo com uma pesquisa nacional de 2017, mais da metade dos agressores eram atuais ou antigos parceiros.

O biólogo e professor universitário Luis Felipe foi denunciado na segunda-feira (6) pelos crimes de feminicídio, cárcere privado e fraude processual. Ele é acusado de ter matado a esposa, a advogada de 29 anos, no dia 22 de julho. O feminicídio é um homicídio cometido contra a vítima por ela ser mulher.

Segundo a denúncia, Manvailer teve a intenção de matar ao agredir a esposa diversas vezes e depois jogá-la da sacada do apartamento em que o casal morava, no 4.º andar de um prédio em Guarapuava, região central do Paraná. O laudo pericial citado no documento aponta que Tatiane tinha marcas de esganadura e que teria sofrido uma asfixia.

O marido da advogada é acusado de ter impedido que a esposa se afastasse e ter alterado a cena do crime, tentando limpar vestígios de sangue e levando o corpo de Tatiane para dentro do apartamento depois da queda.

 

Confira a matéria completa no “The York Times”

 

 

Previous ArticleNext Article
Lorena Pelanda
Coordenadora de jornalismo da rádio BandNews FM Curitiba
[post_explorer post_id="543235" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]